Deputados discutem reajuste do gás no Rio de Janeiro

0

Está previsto para acontecer na próxima terça-feira, 28, uma audiência pública com o objetivo de debater a política pública de reajuste do preço do gás no Estado do Rio de Janeiro (RJ), e os respectivos impactos na economia local. A reunião será presidida pela Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados. 

 

Deputados discutem reajuste do gás no Rio de Janeiro
Deputados discutem reajuste do gás no Rio de Janeiro. (Imagem: Reprodução/Google)

 

O encontro foi sugerido pelo deputado Aureo Ribeiro (Solidariedade-RJ). Segundo ele, a Petrobras promoveu um recente reajuste no valor do gás natural comercializado para as distribuidoras de todo o Brasil. O fato é que esse aumento, nitidamente, foi repassado para os consumidores brasileiros

“No Rio de Janeiro, o reajuste do gás vendido pela Petrobras foi de 42,3%, enquanto a inflação média, até março, foi de 6%. Para o consumidor, o impacto é ainda maior, pois são adicionadas outras taxas, como a fatia da distribuição e revenda e impostos estaduais”, declarou. 

De acordo com o parlamentar, o fato de o Rio de Janeiro ser um estado produtor deveria ter relevância na competitividade do gás, com a possibilidade de atrair mais empresas e oferecer o produto a um preço justo aos consumidores. 

Para ele, as constantes altas aplicadas pela estatal em plena pandemia quando o desemprego em massa atinge um novo patamar junto à alta da inflação, é uma atitude completamente equivocada e absurda. Ele ressaltou que, como sempre, a população de baixa renda é a mais afetada por todos os efeitos econômicos. 

Participarão da audiência pública está prevista para às 16h, as seguintes autoridades:

  • A presidente da Naturgy – Companhia Distribuidora de Gás do Rio de Janeiro, Kátia Repsold;
  • Representantes da Secretaria do Consumidor do Ministério da Justiça;
  • Representantes da Petrobras;
  • Representantes da Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio de Janeiro;
  • Representantes do Tribunal de Contas da União (TCU);
  • Representantes do Ministério da Economia;
  • Representantes do Ministério de Minas e Energia.

Na última semana, o preço do botijão de gás de cozinha de 13 quilos teve mais um aumento. O reajuste notado foi de 1,5% resultando na cobrança média de R$ 130 na região Centro-Oeste, o mais caro do Brasil. 

Desde o início deste ano, o preço médio cobrado pelo botijão de gás de cozinha teve uma alta acumulada em 30%. Os dados obtidos são da Agência Nacional do Petróleo (ANP), que identificou um salto de R$ 75,29 no final de 2020 para a média de R$ 100 até os últimos dias. 

Estes dados representam um aumento cinco vezes maior que a inflação acumulada no respectivo período, ou seja, 5,67%. O percentual foi ajustado mesmo sem haver nenhum aumento oficial por parte da Petrobras no preço do produto nas refinarias desde o início do mês de julho. 

Porém, este aumento na margem de 7% foi aplicado pelas distribuidoras em virtude do dissídio salarial da categoria no mês de setembro. Isso porque, entre a semana do dia 12 a 18 de setembro, o preço médio do gás de cozinha por todo o Brasil se aproximou à média de R$ 98,33.

Veja Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.