Como escolher uma previdência privada?

Veja como funciona os tipos de previdência privada para você escolher

0

Com a pouca expectativa das pessoas em conseguir se aposentar nos dias de hoje, ou pelo fato de complementar o valor da aposentadoria, muitas pessoas estão optando pelos planos de previdência privada. Por isso que hoje, nós do Brasil 123 vamos indicar como escolher uma previdência privada.

Quais são os tipos de previdência privada existentes no mercado hoje?

Aliás, atualmente existem dois tipos de previdência privada:

  • VGBL – Vida Gerador de Benefício Livre;
  • PGBL – Plano Gerador de benefício Livre.

A recomendação de utilização de uma ou outra, depende da maneira de entrega de declaração de imposto de renda realizada.

A PGBL, é usada por pessoas que entregam a declaração de imposto de renda completa, pois as contribuições podem ser deduzidas sobre a renda tributável, até o limite de 12% ao ano. Assim, você pagará menos de imposto de renda no final de cada ano de contribuição.

Mas, na hora do resgate da PGBL, o Imposto de Renda irá incidir sobre as contribuições e sobre os rendimentos.

No caso da VGBL, a recomendação é para pessoas que entregam a declaração de imposto de renda simplificado, pois não apresentam benefícios fiscais. Só é mais vantajoso aplicar no VGBL para as pessoas que apesar de fazer a declaração completa da declaração, decidir por investir mais do que 12% ao ano, pois se passar desse valor não vai adiantar a declaração.

A vantagem da VGBL, é que no resgate, o Imposto de Renda incide somente sobre os rendimentos.

Qual é o funcionamento das previdências privadas?

quais os tipos de previdência privada - reprodução flickr
quais os tipos de previdência privada – reprodução flickr

Os principais quesitos de análise do funcionamento das previdências privadas são o rendimento e os custos.

Rendimentos

Os rendimentos voltados para a previdência privada dependem de como o gestor de investimentos irá agir.

Normalmente, envolve os riscos dos investimentos de renda variável, sendo assim, mais positivos em investimentos realizados a longo prazo. A vantagem é que estas aplicações são feitas a 10, 20 ou 30 anos, e a volatilidade nestes casos se dilui com o passar do tempo.

Custos

Nesta forma de investimento, existem dois principais custos envolvidos:

  • Taxa de carregamento: descontada das contribuições no prazo de acumulação do título. Normalmente esta taxa é inversamente proporcional. Ou seja, quanto maior é a contribuição, menor é a taxa de carregamento. Em outras situações, esta taxa é cobrada no momento do resgate.
  • Taxa de administração: cobrada num valor porcentual anual que incide sobre o patrimônio mantido na carteira. Portanto, na hora de escolher o fundo de previdência é interessante perceber que quanto mais alta é a taxa, maior é o impacto gerado sobre a rentabilidade.

Como funciona o saque da previdência privada?

Ademais, o investidor pode optar por uma forma de saque quando realiza o investimento. Mas pode modificá-lo com o passar do tempo. São três as maneiras de fazer o saque dos valores:

  • Integral: onde o saque pode ser realizado de uma vez só.
  • Mensal temporário: saques de valores fixos mensais, com prazo de início e término.
  • Mensal vitalício: saques mensais de valor fixo, com prazo de início, sendo pago até a sua morte.

Agora que você já sabe como escolher uma previdência privada, faça a sua escolha, e garanta uma aposentadoria com mais qualidade financeira.

Avalie o Artigo:
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.