Combustíveis estão entre os itens que mais subiram em 12 meses

Diesel aparece na 13ª posição, com um preço 52,27% maior que o do ano passado; gás veicular, gasolina e etanol estão no top 50

0

Os preços dos combustíveis continuam corroendo a renda de diversos brasileiros no país. Em maio, a gasolina e o diesel bateram recorde nos postos do Brasil, segundo a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). E os valores segue bem elevados no país, apesar de terem recuado nas últimas semanas.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os preços dos combustíveis fecharam março em queda. Veja abaixo os decréscimos registrados:

  • Óleo Diesel: de 53,58% para 52,27%
  • Gás Veicular: 45,18% para 34,79%
  • Gasolina: 31,22% para 28,73%
  • Etanol: 42,11% para 25,31%

Embora tenham recuado na comparação com abril, todos os combustíveis seguem com taxas bem superiores à inflação nacional em 12 meses. A saber, a taxa inflacionária anual no Brasil está em 11,73%. Isso mostra o quanto os combustíveis estão com avanços bem mais expressivos que a taxa geral no país.

Com o resultado de maio, os combustíveis apareceram no top 50 dos itens cujos preços mais subiram em 12 meses. Em resumo, o diesel ficou na 13ª posição, seguido por gás veicular (20º), gasolina (32º) e etanol (44º).

Leia também: Diesel pode acabar no Brasil? Entenda como isso afeta a sua vida

Cenoura continua liderando altas em 12 meses

Segundo os dados do IBGE, a cenoura continuou liderando o ranking dos itens que mais subiram em 12 meses. A saber, o legume acumulou uma forte alta de 116,37% no período, mas avanço foi bem menor que o registrado em abril (178,02%) a ritmo anual.

Na segunda posição apareceram as passagens aéreas, que dispararam 18,33% apenas na passagem de abril para maio. No acumulado dos últimos 12 meses, a taxa chegou a 88,65%, ficando atrás apenas da cenoura.

O top dez foi completado por:

  • 3º Abobrinha: 82,12%
  • 4º Pepino: 77,91%
  • 5º Melão: 71,34%
  • 6º Café moído: 67,01%
  • 7º Transporte por aplicativo: 64,31%
  • 8º Morango: 57,63%
  • 9º Tomate: 55,62%
  • 10º Mamão: 55,59%

Vale destacar que o tomate fechou o mês em forte queda, derrubando os preços das cestas básica no país. A saber, o fruto acumulou a segunda maior variação anual em abril, de 103,26%, ficando atrás apenas da cenoura.

Leia também: Inflação para as famílias de renda mais baixa desacelera em maio

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.