Ciro Gomes quer uma mulher como sua vice nas eleições presidenciais

“E eu poderia dizer aqui mais uns 100 nomes, porque nós aqui do PDT, nós empoderamos as mulheres", disse Ciro Gomes

0

Ciro Gomes (PDT), candidato à presidência da República, deve anunciar nesta sexta-feira (05) quem ocupará o posto de vice na chapa encabeçada por ele. Em declaração feita nesta quinta (04), o ex-governador do Ceará afirmou que, se depender dele, a vaga será ocupada por uma mulher.

A declaração de Ciro Gomes foi feita enquanto ele chegava à convenção do PDT em São Paulo. Na ocasião, ele disse que já existem possíveis nomes e todos são filiados ao seu partido. “Temos nomes extraordinários, estamos cogitando a ex-reitora da USP, Suely [Vilela], a delegada Martha Rocha, do Rio de Janeiro, a Ana Paula [Matos], vice-prefeita de Salvador, Isabella de Roldão, vice-prefeita de Recife”, começou Ciro Gomes.

“E eu poderia dizer aqui mais uns 100 nomes, porque nós aqui do PDT, nós empoderamos as mulheres”, completou o ex-governador, que parte para a sua quarta disputa pela presidência da República – ele, que também concorreu em 1998, 2002 e 2018, jamais chegou ao segundo turno.

Já durante a convenção, que foi transmitida nas redes sociais, Ciro Gomes discursou e afirmou que o Brasil vive hoje a “mais grave crise da sua história”. De acordo com ele, o momento “é fruto direto de um modelo econômico falido, que fracassou na forma como tem organizado a economia com as questões do povo”.

“O dinheiro para financiar o desenvolvimento brasileiro está no bolso de uma minoria de poderosos, mas nós temos um modelo para cobrar tributos que diminui a cobrança em cima do povo trabalhador e aumenta a tributação sobre os super-ricos”, afirmou Ciro Gomes.

A fala vai ao encontro do que vem dizendo Ciro Gomes. Recentemente, assim como publicou o Brasil123, ele relatou que, caso eleito, pretende instaurar o Imposto Sobre Grandes Fortunas, que segundo ele, atingiria “apenas” cerca de 58 mil pessoas. Com o dinheiro dessa arrecadação, afirmou o ex-governador, seria possível financiar a distribuição de benefícios sociais para a população.

Nesta quinta, ele também afirmou que pretende renegociar as dívidas de todos os trabalhadores brasileiros. Segundo ele, isso irá tirar o “Banco do Brasil e a Caixa Econômica do cartel em que apenas cinco bancos acumulam 85% de todas as transações financeiras”.

“Com uma só canetada do Banco Central, o Brasil e os brasileiros amanheceram mais pobres e endividados. O crescimento de 0,5% na taxa de juros significou um aumento de R$16 bilhões na dívida pública e um impacto direto nas prestações do crediário popular”, comentou Ciro Gomes que, hoje, se encontra em terceiro lugar nas pesquisas de intenções de voto, com 8%. À frente dele estão o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com 47%, e o atual chefe do Executivo, Jair Bolsonaro (PL), com 29%.

Leia também: Ciro Gomes diz que não vai mais disputar à presidência caso perca as eleições deste ano

5/5 - (1 vote)
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.