Casas da Palestina são demolidas para construção de tempo de Israel

0

Quase 120 famílias palestinas enfrentam a destruição de suas casas para dar lugar a um parque temático religioso do estado de Israel, local em que os religiosos acreditam que o rei Davi tinha um jardim nos tempos bíblicos.

Cerca de 1.500 pessoas que vivem em mais de 100 prédios na área al-Bustan de Silwan, na Jerusalém Oriental ocupada, estão ameaçadas.

Não é um assunto novo visto que milhares de muçulmanos e árabes já foram expulsos de suas residências para dar espaço às invasões de outros grupos religiosos. Uma grande porcentagem deles vivem em zonas precárias e sem acesso à água potável. 

Os israelenses já foram apoiados pela União Soviética e hoje ficam abaixo das asas dos estadunidenses. 

Na segunda-feira (07), os inspetores do Município de Jerusalém, acompanhados por forças israelenses, entregaram avisos para demolir pelo menos 13 dessas casas e estruturas em 21 dias, depois que um tribunal israelense decidiu anteriormente que elas foram construídas sem licenças de construção. O próprio governo defende que haja a expulsão dos moradores de suas casas. 

Judeus dos Estados Unidos começaram a desaprovar a situação e realizaram greves e protestos a favor dos árabes. O presidente Biden argumentou que poderiam dividir Jerusalém, o oposto do defendido por Trump. Entretanto, logo depois mudou de ideia e disse que iriam fortalecer ainda mais as forças israelenses. 

Construção palestina? Não! É o “estado de Israel”

O Município de Jerusalém raramente aprova licenças de construção palestinas, mesmo com o esforço contínuo para Judaise, o setor oriental da cidade, os pedidos incluem:

  • facilitação da construção de assentamentos judeus ilegais
  • expulsão forçada de residentes palestinos para abrir caminho para colonos judeus
  • destruição planejada de centenas de casas palestinas .

Os vice-prefeitos de Jerusalém, Arieh King e Fleur Hassan-Nahoum, confirmaram recentemente que o objetivo do estado era limitar a construção palestina em Jerusalém Oriental como uma política deliberada que favorecia os judeus a protegerem o caráter de Israel, dizendo que Israel era um estado judeu.

Três gerações, que contam com mais de 30 pessoas, vivem nas casas de Fakhri Abu Diab e seu irmão, Nader Abu Diab. Ambos os edifícios estão listados para serem demolidos nas próximas semanas.

 

Veja Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.