“Canalha é aquele contra o tratamento precoce da Covid-19”, diz Bolsonaro

"Canalha é aquele que é contra o tratamento precoce e não apresenta alternativa. Esse é um canalha", disparou Bolsonaro durante discurso no Palácio do Planalto

2

Para o presidente da república, Jair Bolsonaro (sem partido), pessoas que são contra o tratamento do chamado tratamento precoce contra a Covid-19, que faz uso de medicamentos como cloroquina e hidroxicloroquina, substâncias sem eficácia para a doença, de acordo com especialistas, podem ser chamados de canalha.

Bolsonaro fala em ‘guerra química’ e faz insinuações

O tema foi tratado por Bolsonaro porque o tratamento em questão é um dos principais alvos da CPI da Covid-19, que ocorre no Senado e acontece a fim de que sejam investigadas tanto as ações quanto as omissões do governo federal no decorrer da pandemia.

Na terça-feira (04), conforme publicou o Brasil123, durante o depoimento do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta à CPI, o tratamento precoce foi um dos principais assuntos. Nesse sentido, o ex-ministro chegou a afirmar que, em dado momento, Bolsonaro chegou a ensaiar um decreto presidencial que mudasse a bula da cloroquina para que o medicamento fosse indicado no tratamento da Covid-19.

Defesa da cloroquina

Desde o início da pandemia, que já matou mais de 400 mil brasileiros, o chefe do Executivo sempre defendeu o tratamento precoce, afirmando, inclusive, que foi graças ao uso da hidroxicloroquina que ele se curou do vírus.

Nesta quarta-feira (05), ele voltou a destacar o tema. “Canalha é aquele que é contra o tratamento precoce e não apresenta alternativa. Esse é um canalha. O que eu tomei [para tratar a Covid], todo mundo sabe. Ouso dizer que milhões de pessoas fizeram esse tratamento. Porque é contra?”, disse Bolsonaro durante discurso no Palácio do Planalto.

Para Bolsonaro, será fundamental que a CPI da Covid-19 investigue o uso em grande escala do medicamente durante o colapso de Manaus, no Amazonas, registrado no começo do ano.

“Espero que a experiência de Manaus com doses cavalares de hidroxicloroquina seja completamente desnudada pelos senadores. Por que não se investe em remédio? Porque é barato demais? É lucrativo para empresas farmacêuticas ou para laboratórios investir no que é caro? Nós conhecemos isso”, disse.

Por fim, Bolsonaro ainda revelou que sua gestão tem convidado profissionais que defendem o tratamento precoce para falarem à comissão.

“Essa CPI vai mostrar o que alguns fizeram com os bilhões entregues pelo governo para os seus respectivos estados e municípios. Junto àqueles que são isentos e apoiam a verdade, senadores, estamos sugerindo que seja convocado ou convidado autoridades que venham falar do tratamento precoce”, completou.

Leia também: Teich diz que deixou o governo após notar que não teria autonomia

Veja Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.