Bolsonaro anuncia encontro com Presidente da Argentina

Vai ser a primeira vez que os dois presidentes irão se encontrar pessoalmente. Os dois já trocaram críticas nos últimos meses

0

O Presidente Jair Bolsonaro anunciou que se encontrará com o Presidente da Argentina, Alberto Fernández. De acordo com as informações do mandatário brasileiro, o encontro vai acontecer ainda neste mês de março. Será na Argentina.

Segundo Bolsonaro, eles irão se reunir no próximo dia 26 deste mês, em Buenos Aires. O Presidente do país vizinho ainda não confirmou a informação. Mas se sabe que eles terão um encontro discreto. Longe da mídia.

Logo depois do encontro os dois farão um pronunciamento público. Apesar de tudo, o encontro deve ter a economia dos dois países como pauta principal. Como se sabe, Brasil e Argentina possuem uma longa história de cooperação econômica entre Governos.

Mas atualmente é fato que esse nível de cooperação poderia se desgastar. Bolsonaro já fez várias críticas ao mandatário argentino. No último mês de outubro, por exemplo, ele disse que o povo argentino “merecia o Governo que tinha” ao se referir aos problemas econômicos do país vizinho.

Na eleição presidencial, Bolsonaro declarou publicamente o seu apoio para o candidato Mauricio Macri. Os dois tinham uma grande afinidade sobretudo quando o assunto era a área da economia. Seja como for, Macri perdeu a eleição.

Bolsonaro e a Argentina

O fato é que Bolsonaro vem suavizando as suas declarações sobre a Argentina já há alguns meses. “Nós torcemos para que a Argentina tenha sucesso nas suas negociações com o FMI, que a situação financeira da Argentina está bastante difícil”, disse ele.

“O êxito econômico de países aqui da América do Sul, entre elas a Argentina, é interessante para todos nós. O Brasil obviamente é um dos grandes interessados”, completou o Presidente em entrevista recente.

A viagem de Bolsonaro vai acontecer no pior momento da pandemia no Brasil. De acordo com o Ministério da Saúde, as próximas semanas tendem a ser as piores desde o começo desse período por aqui. Mais de 260 mil pessoas já morreram. E os números crescem rápido.

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.