Bitcoin tem dificuldades e fecha 6 dias de queda

0

A polêmica sobre o preço do Bitcoin ainda não terminou. Desde o início do ano, a maior moeda digital do mundo já caiu mais de 47%. Apesar disso, ela apresentava alguns dias de alta. Contudo, nesse domingo, 12, a criptomoeda já soma seu sexto dia consecutivo de quedas, o que sugere que o preço deve cair ainda mais.

Isso porque analistas afirmam que os movimentos dos preços podem ser ainda piores no futuro. Ao olhar para o cenário econômico mundial, as expectativas sobre o Bitcoin não são animadoras. Pelo contrário, parece que o preço tende a despencar nos próximos dias.

Bitcoin abaixo dos US$ 30 mil

Muitos analistas comentaram que o preço decisivo para o Bitcoin estava na faixa dos US$30 mil. Isso porque esse seria o preço mais complicado de a moeda ultrapassar. Isso quer dizer que ela poderia cair até esse valor, mas nada além disso. Contudo, a criptomoeda já está há dois dias abaixo desse patamar.

Isso não é apenas um efeito especulativo. Desde o final de 2020, o Bitcoin vem ganhando cada vez mais espaço nas carteiras de investimentos, o que trouxe uma correlação bastante forte com o mercado de tecnologia. Por isso, hoje a criptomoeda tem movimentos parecidos com o índice Nasdaq, a segunda maior bolsa de valores do mundo.

Dessa forma, quando a economia americana vai mal, o Bitcoin tende a ir mal também. Com uma queda de 28% no ano até agora, a Nasdaq também amarga rentabilidades negativas para os investidores. Isso porque a economia americana vai mal, com a maior inflação em mais de 40 anos. Para superar isso, o banco central do país, o FED, está aumentando as taxas de juros, o que afasta os investidores da renda variável.

Diante desse cenário, especialistas alertam sobre os riscos de investir em criptomoedas e apontam os possíveis destinos do Bitcoin no futuro.

bitcoin
Foto: Reprodução

O que vai acontecer com a criptomoeda?

É difícil prever o que vai acontecer com o Bitcoin no curto prazo. Por isso, especialistas não sabem dizer se a moeda vai subir ou cair mais um pouco durante a semana. Contudo, parece consenso entre eles dizer que a criptomoeda só deve voltar a subir, de forma convincente, no final do ano ou até mesmo em 2023.

Isso porque é preciso de tempo para que a economia americana volte a normal. Muito afetada pela guerra na Rússia e decisões erradas no âmbito econômico, o país amarga um enfraquecimento do PIB e uma instabilidade política que vem ganhando força cada dia mais. Com isso, a tendência é que o Bitcoin ainda fique em patamares baixos em 2022. Caso haja uma melhora na economia americana, a perspectiva é que a moeda ganhe força apenas em 2023, o que pode dar lucro para os investidores.

Apesar disso, a recomendação dos analistas é olhar a carteira de investimentos e o espaço das criptomoedas nela. Vale lembrar que o Bitcoin deve representar no máximo 5% do seu dinheiro investido. Por isso, se o percentual cair, compre novamente, mas se o percentual subir, aí pode ser a hora de vender algumas posições.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.