BC dos EUA deve apertar a política monetária, revela ata da última reunião

Documento do Federal Reserve mostra que o país poderá precisar aumentar os juros de maneira mais rápida que o esperado

0

Federal Reserve (Fed), banco central dos Estados Unidos, divulgou nesta quarta-feira (5) a ata da última reunião do banco, ocorrida em 14 e 15 de dezembro de 2021. A saber, as autoridades que participaram do encontro sinalizaram que os juros no país podem subir mais fortemente do que o esperado.

De acordo com o documento, os participantes da reunião afirmaram que a inflação elevada nos EUA pode pressionar o Fed a elevar ainda mais as taxas de juros no país. Isso porque os juros elevados reduzem o poder de compra do consumidor, desaquecendo a economia e evitando altas mais expressivas da inflação.

“Os participantes em geral observaram… que pode ser necessário aumentar a taxa ‘federal funds‘ mais cedo ou em um ritmo mais rápido do que os participantes haviam previsto anteriormente”, afirmou o documento.

“Alguns também destacaram que poderia ser apropriado começar a reduzir o tamanho do balanço do Federal Reserve relativamente logo depois do começo do aumento da taxa (de juros)”, disse a ata.

Veja mais detalhes da reunião do Fed

Na reunião, o Fed decidiu antecipar o fim das injeções na economia norte-americana de meados de 2022 para março. Além disso, a entidade financeira também projetou três elevações da taxa de juros em 2022. Em resumo, os avanços de 0,25 ponto percentual devem ocorrer no decorrer deste ano.

Aliás, os participantes da reunião também afirmaram que o Fed deveria utilizar outros mecanismos para controlar a inflação nos EUA. A saber, algumas das opções giraram em torno da permissão do BC em reduzir as alocações em Treasuries e títulos lastreados em hipotecas.

Em relação à variante Ômicron, não houve comentários dos participantes na reunião. Atualmente, os EUA sofrem com a maior explosão de casos de Covid-19 desde o início da pandemia. Em suma, houve mais de 1 milhão de casos registrados apenas no último dia 3. Já a média de mortes segue acima de mil por dia.

Apesar da gravidade do cenário atual, a reunião ocorreu em meados de dezembro. Por isso que as autoridades não fizeram comentários sobre a Ômicron, visto que o aumento de casos estava no início.

Por fim, o presidente do Fed, Jerome Powell, comparecerá ao Comitê Bancário do Senado na próxima semana. A ocasião marcará a nomeação para o segundo mandato de quatro anos de Powell como chefe do Fed. E muitos esperam que ele traga novidades sobre a economia americana no evento.

Leia Mais: Intenção de consumo das famílias tem pior resultado desde 2010

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.