Auxílio Emergencial e Bolsa Família: Fique ATUALIZADO com o resumo da semana; confira

Confira as últimas novidades dos benefícios

0

Diante das inúmeras informações que são lançadas todos os dias a respeito do Auxílio Emergencial 2021 e do Programa Bolsa Família (PBF) pode ser difícil acompanhar e ficar por dentro de todos os acontecimentos. Sendo assim, este artigo traz um resumo das principais notícias da semana para que você fique atualizado.

É o Brasil 123 levando sempre informações relevantes para você!

Calendário de saques da semana

A etapa de liberação dos saques em dinheiro da terceira parcela do auxílio emergencial contemplou nesta semana:

  • Nascidos em julho: no dia 12 de julho;
  • Nascidos em agosto: no dia 13 de julho;
  • Nascidos em setembro: no dia 14 de julho;
  • Nascidos em outubro: no dia 15 de julho;
  • Nascidos em novembro: no dia 16 de julho.

Pente fino no auxílio emergencial

As constantes operações de revisões na concessão do auxílio emergencial 2021 já resultaram no corte do benefício para cerca de 2 milhões de pessoas. Como é sabido, esta nova rodada do auxílio foi reduzida em número de beneficiários, no valor das parcelas e ainda mais rígida do que antes.

Dessa forma, mensalmente são realizadas novas análises pela Dataprev, empresa de tecnologia responsável pelo processamento dos cadastros, com o objetivo de identificar novos elegíveis e ainda identificar aqueles que não atendam mais os requisitos para participar do programa e, consequentemente, que acabam tendo o benefício cancelado.

Nos últimos dias, o governo federal divulgou que 2 milhões de segurados foram desligados do programa por não se enquadrarem nas regras da concessão do benefício.

Diante desse cenário, é importante mencionar que da mesma forma que ocorrem novas revisões, são abertos novos prazos para contestação dos usuários. Assim, é preciso ficar atento às novas liberações para contestar a negativa do auxílio, desde que o motivo que originou o cancelamento permita tal procedimento.

Parcelas da prorrogação do auxílio emergencial para o Bolsa Família

A extensão do auxílio emergencial contará com 3 novas parcelas com os mesmos valores aplicados nos ciclos anteriores. Entretanto, as novas datas até a 7ª parcela ainda não foram divulgadas, porém, como já existe um calendário habitual para o Programa Bolsa Família (PBF), cujos pagamentos são sempre realizados nos últimos 10 dias úteis de cada mês de acordo com o dígito final do Número de Identificação Social (NIS), já é possível determinar as datas da 5ª, 6ª e 7ª parcelas para este grupo.

NIS com final 1

  • 5ª parcela: Crédito em 18 de agosto;
  • 6ª parcela: Crédito em 17 de setembro;
  • 7ª parcela: Crédito em 18 de outubro.

NIS com final 2

  • 5ª parcela: Crédito em 19 de agosto;
  • 6ª parcela: Crédito em 20 de setembro;
  • 7ª parcela: Crédito em 19 de outubro.

NIS com final 3

  • 5ª parcela: Crédito em 20 de agosto;
  • 6ª parcela: Crédito em 21 de setembro;
  • 7ª parcela: Crédito em 20 de outubro.

NIS com final 4

  • 5ª parcela: Crédito em 23 de agosto;
  • 6ª parcela: Crédito em 22 de setembro;
  • 7ª parcela: Crédito em 21 de outubro.

NIS com final 5

  • 5ª parcela: Crédito em 24 de agosto;
  • 6ª parcela: Crédito em 23 de setembro;
  • 7ª parcela: Crédito em 22 de outubro.

NIS com final 6

  • 5ª parcela: Crédito em 25 de agosto;
  • 6ª parcela: Crédito em 24 de setembro;
  • 7ª parcela: Crédito em 25 de outubro.

NIS com final 7

  • 5ª parcela: Crédito em 26 de agosto;
  • 6ª parcela: Crédito em 27 de setembro;
  • 7ª parcela: Crédito em 26 de outubro.

NIS com final 8

  • 5ª parcela: Crédito em 27 de agosto;
  • 6ª parcela: Crédito em 28 de setembro;
  • 7ª parcela: Crédito em 27 de outubro.

NIS com final 9

  • 5ª parcela: Crédito em 30 de agosto;
  • 6ª parcela: Crédito em 29 de setembro;
  • 7ª parcela: Crédito em 28 de outubro.

NIS com final 0

  • 5ª parcela: Crédito em 31 de agosto;
  • 6ª parcela: Crédito em 30 de setembro;
  • 7ª parcela: Crédito em 29 de outubro.

Governo antecipa a 4ª parcela do auxílio emergencial

A antecipação da quarta parcela do auxílio emergencial 2021 foi publicada pelo Governo Federal nesta quinta-feira (15). Receberão antes os inscritos pelos canais digitais e pelo Cadastro Único. Aqueles que recebem via Bolsa Família não terão mudanças, pois os repasses continuarão de acordo com o calendário convencional do programa, como já havia adiantado o presidente da Caixa Econômica, Pedro Guimarães.

Novas datas para os beneficiários fora do Bolsa Família:

  • Nascidos em janeiro – Crédito dia 17 de julho – Saque dia 2 de agosto;
  • Nascidos em fevereiro – Crédito dia 18 de julho – Saque dia 3 de agosto;
  • Nascidos em março – Crédito dia 20 de julho – Saque dia 4 de agosto;
  • Nascidos em abril – Crédito dia 21 de julho – Saque dia 5 de agosto;
  • Nascidos em maio – Crédito dia 22 de julho – Saque dia 9 de agosto;
  • Nascidos em junho – Crédito dia 23 de julho – Saque dia 10 de agosto;
  • Nascidos em julho – Crédito dia 24 de julho – Saque dia 11 de agosto;
  • Nascidos em agosto – Crédito dia 25 de julho – Saque dia 12 de agosto;
  • Nascidos em setembro – Crédito dia 27 de julho – Saque dia 13 de agosto;
  • Nascidos em outubro – Crédito dia 28 de julho – Saque dia 16 de agosto;
  • Nascidos em novembro – Crédito dia 29 de julho – Saque dia 17 de agosto;
  • Nascidos em dezembro – Crédito dia 30 de julho – Saque dia 18 de agosto.

Beneficiários do Bolsa Família seguem com o mesmo calendário:

  • NIS final 1 – 19 de julho;
  • NIS final 2 – 20 de julho;
  • NIS final 3 – 21 de julho;
  • NIS final 4 – 22 de julho;
  • NIS final 5 – 23 de julho;
  • NIS final 6 – 26 de julho;
  • NIS final 7 – 27 de julho;
  • NIS final 8 – 28 de julho;
  • NIS final 9 – 29 de julho;
  • NIS final 0 – 30 de julho.

Projeto de programa social que vai substituir o Bolsa Família

O governo federal enviou ao Congresso Nacional na última quarta-feira (14) o projeto que viabiliza a criação do programa social para substituir o Bolsa Família. A proposta atrela o benefício à aprovação da taxação de lucros e dividendos prevista na reforma tributária que tramita na Câmara.

O substituto do Bolsa Família prevê aumento no valor médio do benefício e a intenção do governo é incluir três milhões de famílias, chegando a 17 milhões de beneficiários.

A alteração no programa depende da aprovação da taxação de lucros e dividendos, de acordo com o texto enviado ao Congresso. Em 2022, o governo federal pretende arrecadar R$ 19 bilhões com o imposto.

Parceria CAIXA e WhatsApp

Por meio da parceria realizada entre a Caixa Econômica Federal e o WhatsApp, serão enviadas 500 milhões de mensagens gratuitas aos beneficiários, não apenas do auxílio emergencial, mas de outros programas, como o Bolsa Família, para as pessoas mais humildes, para melhorar o fluxo de informações, para os quais ainda posteriormente será ofertado o serviço de microcrédito com as menores taxas do mercado, e que vão revolucionar o esse mercado no Brasil, segundo o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

Novos 30 mil beneficiários receberão o auxílio emergencial depois de nova análise

Serão 30.390 pessoas as que receberão o auxílio emergencial depois de uma nova análise realizada pelo Ministério da Cidadania e que foi concluída nesta quinta-feira (15). Dessa forma, os trabalhadores recém-incluídos terão o pagamento, de uma vez, de todas as parcelas a que têm direito, de acordo com um calendário estabelecido, que segue exatamente as mesmas datas da 4ª parcela do auxílio.

Renda Cidadã ou Renda Brasil: O Bolsa Família vai mudar de nome?

Existem especulações de que o Bolsa Família vai mudar de nome, sendo alterado pelo Governo Federal para Renda Cidadã ou Renda Brasil. Entretanto, essa informação ainda não é oficial, como também não está confirmado o novo valor do programa social.

Até o momento, o que se sabe é que ele deve ter início em novembro, devido às declarações já realizadas pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, e seus ministros, que indicam que o programa chega com o término do auxílio emergencial 2021, que ocorrerá em outubro.

O Planalto ainda analisa pontos importantes sobre o programa, tais como o valor médio dos pagamentos e a quantidade dos beneficiários, que deve ser aumentada.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.