Auxílio Brasil durante as eleições: beneficiários receberão no período?

Saiba se terá Auxílio Brasil durante as eleições

0

Beneficiários se perguntaram se irão receber Auxílio Brasil durante as eleições. Isso porque nos últimos dias correram notícias de que o benefício seria suspenso no período eleitoral. 

Entretanto, a notícia é falsa. As próprias regras do programa proíbem que ele seja suspenso. 

Fake news dissemina que não haverá Auxílio Brasil durante as eleições

A fake news que disseminou a notícia afirmava que TSE estaria planejando um golpe contra o presidente da República, Jair Bolsonaro. Veja a notícia na íntegra:

“Atenção! O TSE vai cancelar os pagamentos do Auxílio Brasil e do Vale-gás durante as eleições deste ano. Mais uma tentativa de minar a confiança dos brasileiros no presidente Jair Bolsonaro. Eles não querem que você saiba. Compartilhe já!”

A única relação entre benefícios sociais e período eleitoral são as regras que que proíbem o Governo Federal de iniciar novos programas de distribuição de renda em anos de votação. 

Entretanto, as regras não se aplicam ao Auxílio Brasil. O programa foi implementado em novembro de 2021. 

Auxílio Brasil 

O Auxílio Brasil foi o programa social que substituiu o programa Bolsa Família, instituído pelo ex-presidente Lula (PT). Atualmente o programa beneficia cerca de 18 milhões de famílias. 

Só no mês de junho o Auxílio Brasil incluiu 56 mil novas famílias na folha de pagamento. A seleção de candidatos tem como objetivo a redução da fila de espera, que desde fevereiro de 2022 só cresce. 

Para receber o abono é necessário estar inscrito no CadÚnico e estar em situação de extrema pobreza ou pobreza. A seleção para participação do programa não necessita de solicitação, ela é feita automaticamente. 

Governo Federal

O Auxílio Brasil tem sido utilizado pelo Governo Federal como marca para a campanha da eleição de 2022. A equipe prevê que angariar os votos do público alvo, indivíduos em situação de vulnerabilidade, irá trazer a reeleição de Bolsonaro.

Para conseguir isso, o Governo segue investindo em melhorias e disseminação dos feitos ligados ao programa de transferência de renda. 

  • Uma das principais medidas é a troca do cartão que dá acesso ao benefício. Atualmente o cartão ainda possui o nome do antigo programa Bolsa Família. Para a equipe de Bolsonaro isso é um problema, visto que o Bolsa Família ainda é muito associado ao ex-presidente do PT; 
  • Outra medida estratégica, foi o lançamento da MP que permite créditos consignados e o Benefício de Prestação Continuada. 

Lula, é o maior rival de Jair Bolsonaro nas eleições de 2022. Desvincular a imagem dele, Lula, do principal programa social, e associá-lo a Jair parece ser a maior estratégia do grupo. 

Entretanto, as medidas de Bolsonaro não estão funcionando como deveriam, visto que dentre o público alvo seu nível de aprovação não é bom. Além de não subir, dentre alguns subgrupos não há intenção de voto significativa no presidente.

Outro ponto negativo, é o fato de que alguns deputados se opuseram à troca de cartões do benefício social. Isso porque os gastos para realizar a ação são altíssimos. 

Deputados da Câmara entraram com um pedido de suspensão no TCU, no mês passado, para impedir o prosseguimento da medida de Bolsonaro. Eles alegam que o pedido é justificado pelo mau uso do dinheiro público no investimento. 

A troca dos cartões do Bolsa Família custaria aproximadamente R$ 324 milhões.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.