Assessor de Queiroga disse em mensagem que secretária estava tentando derrubar o ministro

Durante as trocas de mensagens, o chefe de gabinete ainda disse que Mayra poderia acabar prejudicando uma eventual reeleição de Bolsonaro

0

Uma troca de mensagens entre o chefe de gabinete do ministro da Saúde, João Lopes de Araújo Júnior e a secretária de Gestão do Trabalho, Mayra Pinheiro, também conhecida como “capitã cloroquina”, acabou virando um caso de polícia. Isso porque, durante a conversa, João acusou Mayra de estar tentando derrubar o ministro Marcelo Queiroga.

Durante as trocas de mensagens, que foram reveladas pela “TV Globo” nesta sexta-feira (09), o chefe de gabinete ainda disse que Mayra poderia acabar prejudicando uma eventual reeleição do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Segundo a “TV Globo”, o caso foi inicialmente revelado pela “Rádio CBN” e as imagens, que foram retiradas do celular de Mayra, foram encaminhadas para a Polícia Civil do Distrito Federal, que analisará o fato.

Conforme aponta a jornalista Natuza Nery, com as mensagens, é possível constatar que, atualmente, existe no Ministério da Saúde um clima de boicote que tem como intuito o poder. Além disso, a pasta também vem sofrendo uma grande pressão por conta da má gestão da pandemia da Covid-19.

“Você está tramando coisas terríveis […] Tive informação de dentro do Palácio do Planalto sobre o que anda fazendo e falando, e você não tem qualquer lealdade ao ministro Queiroga. Sei de todos os nomes envolvidos nessa tentativa de retirada do ministro”, escreveu João para Mayra.

Em seguida, ele continuou dizendo que a “capitã cloroquina” iria acabar prejudicando Bolsonaro. “Você vai terminar é prejudicando muito o presidente. Estão se organizando para sabotá-lo para prejudicar a reeleição do presidente”, afirmou.

capitã cloroquina cpi covid
Durante as trocas de mensagens, o chefe de gabinete ainda disse que Mayra poderia acabar prejudicando uma eventual reeleição de Bolsonaro. (Foto: reprodução)

Durante o diálogo, Mayra, que já era secretária da pasta quando Queiroga se tornou ministro, resumiu-se a dizer apenas que irá fazer um boletim de ocorrência contra as acusações do secretário.

Segundo as informações, também divulgadas pela “TV Globo”, integrantes do governo dizem que Queiroga até tentou tirar Mayra de seu posto na Secretaria de Gestão do Trabalho por conta das denúncias sobre a distribuição de cloroquina e a crise de oxigênio de Manaus, mas sem sucesso.

Leia também: “Absolutamente contrário”, diz Queiroga sobre leis que obrigam máscaras contra Covid-19

Veja Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.