YouTube se mexe para purgar “teorias de conspiração nocivas” do site

0

O YouTube se tornou o mais recente gigante da mídia social a anunciar uma repressão radical ao conteúdo ligado à teoria da conspiração de QAnon.

A empresa disse que proibiria material visando uma pessoa ou grupo com teorias de conspiração que tenham sido usadas para justificar a violência, como a QAnon.

O Twitter e o Facebook já tomaram medidas semelhantes para erradicar o QAnon.

 

Chapéu de papel alumínio

 

O movimento QAnon alega que o presidente dos EUA, Donald Trump, está lutando contra uma elite mundial de pedófilos adoradores de Satanás.

O FBI emitiu no ano passado um aviso sobre “extremistas domésticos movidos pela teoria da conspiração” e designou QAnon como uma potencial ameaça doméstica extremista.

O que o YouTube anunciou?

Em um post de blog na quinta-feira, o YouTube disse que tinha “removido dezenas de milhares de vídeos de QAnon e terminado centenas de canais” sob suas regras de conteúdo existentes.

Mas citando desafios no gerenciamento de conteúdo “mutável e evolutivo”, o YouTube disse que era necessário dar “mais um passo em nossos esforços para frear o ódio e o assédio”.

“Hoje estamos expandindo ainda mais nossas políticas contra ódio e assédio para proibir conteúdos que visam um indivíduo ou grupo com teorias conspiratórias que têm sido usadas para justificar a violência no mundo real”, disse ele.

Um exemplo, disse o YouTube, “seria conteúdo que ameaça ou assedia alguém sugerindo que ele é cúmplice de uma dessas conspirações nocivas”.

 

Discurso de ódio

 

As novas regras do YouTube, que representam uma expansão da política contra discurso de ódio da plataforma, vêm três anos após QAnon ter aparecido pela primeira vez.

O movimento tem sido ligado a numerosas reivindicações falsas que se espalharam online, com as acusações sem fundamento mais comumente dirigidas aos Democratas.

O Presidente Trump usou seu feed no Twitter para promover alegações sem fundamento empurradas por relatos ligados à teoria da conspiração de QAnon.

Durante um encontro na TV na quinta-feira, o presidente foi questionado sobre a teoria da conspiração e ele, muito convenientemente, fingiu demência: “Eu não sei nada sobre QAnon”.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.