Vereadora é presa suspeita de participar de chacina com 7 mortes

Ela teria dado apoio logístico e também fornecido o material para que o crime pudesse acontecer

1

Edivanda de Azevedo, vereadora eleita pelo município de Ibaretama (CE) nas eleições deste ano foi presa suspeita de ter participado de uma chacina que deixou sete mortes em 26 de novembro deste ano. Ela foi presa na casa de parentes, em Fortaleza (CE).

Leia também: Padrasto confessa ter matado menina de 5 anos que estava desaparecida

vereadora
Ela teria dado apoio logístico e também fornecido o material para que o crime pudesse acontecer. (Foto: reprodução)

De acordo com a Polícia Civil, o mandado de prisão preventiva foi realizado depois que as investigações da Delegacia Regional de Quixadá, que indiciou seis pessoas pela chacina, constatou a participação da vereadora no crime. Além de Edivanda, foram presos os dois filhos dela. Até o momento, afirma a polícia, três indiciados suspeitos de envolvimento com o crime ainda estão foragidos. 

A participação da vereadora no crime 

O crime ocorreu no dia 26 de novembro, quando homens armados invadiram uma casa e assassinaram sete pessoas, incluindo uma criança de 7 anos –  a principal suspeita é de que a chacina foi provocada por disputas de organizações criminosas no território.

Para a Delegacia Regional de Quixadá, a função da vereadora no crime foi a de auxiliar os executores. Ela teria dado apoio logístico e também fornecido o material para que o crime pudesse acontecer.

Além disso, Edivanda contou com a ajuda de seus filhos, que teriam repassando as informações sobre os alvos e também dado assistência aos executores, momentos antes e após o crime acontecer.

Os alvos da ação criminosa eram pessoas supostamente envolvidas em crimes no município e integrantes de uma organização criminosa, conforme provas levantadas pelos agentes da Polícia Civil.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.