Vereador Dr. Jairinho tem registro profissional de médico suspenso

De acordo com o Cremerj, a suspensão do registro de Jairinho é um recurso para proteger a população e assegurar a boa prática médica

0

O Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) divulgou nesta sexta-feira (11) que suspendeu o registro profissional do médico e vereador Dr. Jairinho, que está preso desde abril acusado de ter matado o enteado, o menino Henry Borel, de quatro anos.

Pai de Jairinho toma posse como deputado quase três anos após ter sido preso

Em nota, o Cremerj aponta que a suspensão é um recurso para proteger a população e assegurar a boa prática médica. Ainda segundo o conselho, o processo contra Dr. Jairinho está em andamento e corre em sigilo, seguindo as normas do Código de Processo Ético Profissional.

Jairinho foi suspenso, mas as punições contra ele podem ser pesadas. Isso porque, de acordo com a lei, o vereador pode receber punições que vão desde advertência até cassação definitiva do registro profissional.

dr jairinho
Jairinho está preso desde a última quinta-feira (08) e é o principal suspeito de ter matado o garoto Henry, de 4 anos. (Foto: reprodução)

Outro processo contra Jairinho

Jairinho também foi afastado do Conselho de Ética da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, ainda em abril. Além disso, o vereador passou a ficar afastado de seu posto de vereador a partir do 31° dia na cadeia, sem direito a salário, como determina o Regimento Interno da Câmara Municipal.

No último dia 21 de maio, o advogado do vereador, Berilo Martins Netto, protocolou a defesa prévia escrita do parlamentar no processo de quebra de decoro que corre no Conselho de Ética da Câmara Municipal. Com o recebimento do documento, o prazo para a fase de instrução processual teve início no dia 24 de maio.

De acordo com a Câmera, após a apresentação da defesa, tem início a fase de instrução do processo, pelo prazo de até 30 dias úteis, prorrogáveis por mais 15 dias. Depois disso, o relator vereador Luiz Ramos Filho (PMN), dará um parecer em até cinco dias úteis, concluindo pela procedência da representação ou pelo seu arquivamento.

Caso o parecer seja favorável à denúncia, será aberto mais um prazo de cinco dias para apresentação de alegações finais pela defesa do acusado e após isso o Conselho de Ética votará se manda ou não o caso para o plenário da Câmara, que decidirá se o vereador perderá ou não seu mandato. Para que isso aconteça, dois terços dos vereadores (34 votos) devem ser no sentido de que Jairinho perca sua cadeira na casa.

Leia também: Cartão corporativo do governo Bolsonaro tem gastos fixos de R$ 1 mil a R$ 20 mil

Veja Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.