Verão: começa a estação mais quente do ano

1

O verão começou na manhã desta segunda-feira (21). Para ser mais exato, a estação mais quente do ano chegou ao hemisfério sul às 7h02, horário de Brasília. O verão termina no dia 20 de março de 2021 às 06h02, quando começa o outono.

De acordo com os meteorologistas, o verão é caracterizado pela elevação da temperatura em todo país por causa da posição do Sol, que fica mais ao sul. Por isso, os dias são mais longos que as noites e com mudanças rápidas nas condições de tempo. Ou seja: chuva forte, queda de granizo, vento com intensidade variando de moderada à forte e descargas elétricas.

Leia também: Cuidados com a saúde no verão

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as chuvas são frequentes em praticamente todo o país, com algumas exceções. Por exemplo, no extremo sul do Rio Grande do Sul, nordeste de Roraima e leste do Nordeste.

Nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, as chuvas neste período ocorrem principalmente graças a atuação da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS). Já no norte das regiões Nordeste e Norte, a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) é o principal sistema responsável pela ocorrência de chuvas. Conforme o Inmet, em média, os maiores volumes de precipitação serão observados sobre as regiões Norte e Centro-Oeste, com totais na faixa entre 700 e 1100 mm.

Devido às características climáticas, com grandes volumes de precipitação, o verão no Brasil é de fundamental importância para várias atividades econômicas. Podemos destacar a agropecuária, a geração de energia por meio das hidrelétricas, reposição hídrica e manutenção dos reservatórios de abastecimento de água em níveis satisfatórios.

Previsão do tempo para o verão

Norte

Em comparação com as outras regiões, o Norte deve acumular, entre janeiro e março, chuvas acima da média na maior parte do seu território. Contudo, há possibilidade de localidades com chuvas abaixo da média, principalmente no sul dos estados do Amazonas, Pará e Tocantins.

Nordeste

Para o Nordeste, conforme a previsão do Inmet, há o predomínio de áreas com maior probabilidade de chuvas acima da média na faixa norte próxima ao litoral do Maranhão e ao Rio Grande do Norte. Nas áreas com chuvas abaixo da média, as temperaturas devem ficar mais elevadas.

Centro-Oeste

A previsão para o verão aponta alta probabilidade das chuvas ocorrerem de normal a ligeiramente acima em grande parte do Centro-Oeste. Isso não vale no sul do Mato Grosso do Sul e localidades de Goiás, onde as chuvas serão mais próximas à média ou ligeiramente abaixo. De acordo com o Inmet, as temperaturas serão dentro da faixa normal ou acima da média em praticamente toda a região.

Região Sudeste

A previsão para os próximos três meses é de chuvas variando de normal a ligeiramente acima da faixa normal em grande de São Paulo. Nos demais estados, as maiores probabilidades são de acumulados abaixo da média. Entretanto, no Rio de Janeiro e extremo sul de Minas Gerais, podem ocorrer chuvas dentro da faixa normal do período. A ocorrência de tempestades é normal durante o verão no Sudeste e não estão descartadas. De modo geral, previsão do Inmet indica que as temperaturas devem ficar acima da média durante toda a estação.

Região Sul

O fenômeno La Niña deve persistir durante o verão no Sul. Em outras palavras, é o fenômeno de resfriamento fora do comum da temperatura da superfície do mar em relação à média histórica. Por isso, o Inmet informa que há possibilidade de chuvas abaixo da média no Rio Grande do Sul, oeste de Santa Catarina e sul do Paraná. Nas demais áreas, as chuvas devem variar dentro da faixa normal ou um pouco acima. As temperaturas devem ficar acima da média em praticamente toda a região Sul.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.