Veículos a combustível podem ser proibidos de circular em ruas britânicas

O Comitê de Mudanças Climáticas está trabalhando com a data de 2032

0

Mesmo que muita gente ache sofisticado usar um carro elétrico, não foi pensando nisso que ele foi criado: o objetivo de um veículo que funciona à base de corrente elétrica é não gerar poluição.

Afinal, quando o etanol ou a gasolina é queimado, libera-se substâncias poluentes, que atacam a camada de oxônio, prejudicam a qualidade do ar e fazem mal à saúde da população. A longo prazo, o acúmulo desses gases poluentes também prejudica o funcionamento da natureza, causando uma série de desequilíbrios.

É por causa disso que o Comitê de Mudanças Climáticas está tentando emplacar uma nova lei: a de que as empresas só poderão vender veículos elétricos a partir de 2032. Isso quer dizer que nenhuma montadora poderá fabricar e vender veículos que sejam alimentados por combustíveis diferentes da energia elétrica.

Vale dizer que o prazo atual é 2035 e que isso já representa uma redução de 15 anos no prazo que tinha sido determinado inicialmente.

Além dos veículos comum, as motocicletas, por exemplo, também só poderão ser vendidas se funcionarem com energia elétrica. A intenção é que todo o Reino Unido fique o mais livre possível dos poluentes e que também não os lance na atmosfera da forma como acontece hoje em dia.

Destaca-se que acordo com estudos, 24% de todos os poluentes com os quais os britânicos convivem diariamente vêm de veículos como motos e carros. Com a determinação de que apenas veículos elétricos podem ser vendidos e dirigidos a partir de 2032, essa porcentagem será reduzida.

Ainda não há informações sobre o que as pessoas deverão fazer com os veículos não-elétricos que elas já tiverem. Provavelmente, eles poderão continuar circulando até o momento em que apresentarem algum defeito grave ou até que sejam inutilizados de uma vez.

Uma das organizações que não concordam com a data de 2032 é a Associação Britânica de Locação e Leasing de Veículos; representada por Toby Poston, ela declarou que não acredita haver motivos para o adiantamento.

Avalie o Artigo:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.