Variantes do coronavírus são rebatizadas com as letras do alfabeto grego

Cepas brasileiras agora são chamadas de Gamma (P.1) e Zeta (P.2)

3

Nesta segunda-feira (31), a Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou que as variantes do coronavírus serão rebatizadas com letras do alfabeto grego, para tentar diminuir o estigma dos países onde as cepas foram descobertas e simplificar a comunicação sobre o tema.

Hoje, as variantes são conhecidas pelo local onde foram detectadas pela primeira vez ou por uma combinação de letras e números.

Entre as novas variantes do coronavírus, quatro são consideradas “variantes de preocupação”, ou VOC (sigla utilizada para descrever mutações com maior potencial de causar estrago), são elas: as variantes do Reino Unido (B.1.1.7), da África do Sul (B.1.351), do Brasil (P.1) e da Índia (B.1.617.2).

A partir de agora, as “variantes de preocupação” passarão a ser chamadas de Alpha, Beta, Gamma e Delta, respectivamente, seguindo a ordem em que foram descobertas. Novas variantes seguirão a mesma lógica, sempre com letras do alfabeto grego.

“Embora tenham suas vantagens, esses nomes científicos podem ser difíceis de pronunciar e recordar e podem levar à publicação de informações erradas”, afirmou a OMS, ao explicar a decisão.

A decisão de mudar o nome das variantes do coronavírus veio após meses de debates sobre o tema. De acordo com o bacteriologista Mark Pallen, outra possibilidade levantada nas discussões foi a de usar nomes de deuses gregos, porém, muitos desses nomes já são usados por empresas ou marcas comerciais.

Nenhum país deve ser estigmatizado por descobrir variantes do coronavírus

Ao longo da história, os vírus muitas vezes foram ligados aos nomes dos locais onde surgiram, como no caso do ebola, batizado com o nome de um rio no Congo. No entanto, em alguns casos, isso induziu a erros, como com a gripe espanhola, cujo local de origem é desconhecido.

“Nenhum país deveria ser estigmatizado por detectar e reportar variantes”, afirmou a epidemiologista da OMS Maria Van Kerkhove ao defender que as variantes do coronavírus sejam renomeadas com letras do alfabeto grego.

Confira os novos nomes das variantes do coronavírus:

  • Alpha: B.1.1.7 ou Reino Unido
  • Beta: B.1.351 ou África do Sul
  • Gamma: P.1 ou Brasil
  • Delta: B.1.617.2 ou Índia
  • Epsilon: B.1.427 / B.1.429 ou EUA
  • Zeta: P.2 ou Brasil
  • Eta: B.1.525
  • Theta: P.3 ou Filipinas
  • Iota: B.1.526 ou EUA
  • Kappa: B.1.617.1 ou Índia
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.