Varejo já se reinventa para nova realidade pós-pandemia

Mesmo com a reabertura gradual do comércio, especialista acredita que empresários já encontram um "novo consumidor"

0

A pandemia da Covid chegou fechando as portas de grande parte do varejo. No setor de calçados, por exemplo, o impacto maior da pandemia se deu no mercado interno brasileiro, que absorve mais de 85% da produção nacional. A produção caiu 30% no primeiro semestre de 2020.

Diante deste cenário, as empresas já começam a se reinventar para um cenário pós-pandemia. 

Varejo e uma nova realidade

“Percebemos que o momento já pede mudanças. Não sabemos o comportamento do consumidor daqui para a frente, mas podemos prever. Então, como não é possível abrir mão totalmente do atendimento presencial e nem ficar de fora do online.”, exemplifica uma das proprietárias da marca MAZ de sapatilhas, diz Juliana Hemerly. A marca sempre funcionar apenas com lojas físicas, antes da pandemia. 

Além disso, o Juliana explica que “novo normal” passou a ditar tendências, em especial, no varejo. Uma mudança comportamental que deve se manter mesmo após a pandemia, de acordo com ela.  

Especialista analisa varejo na pandemia e depois…

Já o professor universitário e especialista em marketing, varejo e franquias, Denis Santini, é categórico.  “As empresas vão sair mais tecnológicas e as pessoas mais humanas. Assim, tudo isso vai fazer com que tenhamos um novo normal. Quem vai se dar bem? Quem se adaptar primeiro.”, fala Santini.

O especialista explica, também, que com a reabertura gradual das lojas, o consumidor não tem ido de imediato às compras. Assim, os empresários estão encontrando um novo público. “O consumidor espera encontrar um varejo diferente e mais formas de comprar.”, pontua Santini.

Ainda, para ele, o “novo normal” vai muito além de lojas virtuais. O varejo deve se reinventar em questões de aplicativos para celular, por exemplo. Também, o relacionamento online com os consumidores é importante, ainda mais do que a venda. 

Vale destacar que mesmo com a reabertura do varejo, o comércio online aponta crescimento. As vendas por internet cresceram 22,9% em julho, de acordo com a plataforma Compre & Confie, em relação ao mesmo mês do ano anterior (2019) e em mais de 12% em relação a junho desde ano. 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.