‘Vamos sofrer um pouco’, diz Felipão na chegada ao Grêmio

Porém, treinador disse também que clube ainda terá muitas alegrias

0

De volta ao Grêmio para sua quarta passagem pelo clube, o técnico Luiz Felipe Scolari foi apresentado no início da tarde desta sexta-feira.

Assim, aos 72 anos, o comandante pentacampeão mundial com a Seleção Brasileira, mais experiente, foi bem sincero durante a entrevista coletiva.

Dessa forma, com o Tricolor Gaúcho na lanterna do Campeonato Brasileiro, com apenas 2 pontos, ele já prevê muito sofrimento na temporada.

E, logo na estreia, neste sábado (10), já terá pela frente o arquirrival Internacional, na Arena, a partir das 16h30.

“Vamos sofrer um pouco, mas também teremos alegrias”, disse Felipão.

Antes, a última passagem dele pelo clube havia sido entre 2014 e 2015, quando saiu sem conquistar nenhum título.

Ao contrário da segunda, entre 1993 e 1997, quando ganho Estadual, Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Copa Libertadores da América.

Agora, vai encarar uma nova realidade e o primeiro desafio, além de vencer o Grenal 433, é buscar sair da zona de sufoco.

Mas Felipão também não escondeu a alegria e a tranquilidade de estar no clube do coração.

“Estou em casa, me sinto bem. Quero mostrar a todos que eu estou vivendo esse momento com eles. Abraço isso. Todos vamos viver essa dificuldade, mas ficaremos felizes no futuro”, afirmou o técnico.

Trabalho

Uma coisa é certa: Felipão vai ter muito trabalho pela frente e sabe disse. Porém, se mostra tranquilo, no alto de sua vasta experiência no mundo do futebol.

“Não posso dizer detalhadamente como vamos fazer para tirar o Grêmio dessa dificuldade. O que posso definir é que temos que trabalhar”, disse.

“Mas o que temos que fazer e já estamos fazendo, e acredito que já foi feito na manhã de hoje, é a mudança de pensamento, da parte psicológica”, afirmou.

“O entendimento é que somos um grupo de jovens e experientes, em que todos tem condições de jogar uma partida de futebol”, ressaltou o treinador.

Leia também: Messi e Neymar vão medir forças pelas suas seleções depois de cinco anos

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.