Vacinação contra Covid-19 no Brasil pode ser afetada por falta de IFA a partir de junho, diz Dimas Covas

Falta de insumos preocupa diretor do Instituto Butantan

2

Na manhã desta segunda-feira (10), em entrevista coletiva na sede do Instituto Butantan, o diretor Dimas Covas afirmou que o cronograma de vacinação contra Covid-19 no Brasil pode ser afetado a partir de junho pela falta de IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo) importado da China.

O evento de hoje marcou a entrega ao Ministério da Saúde de 2 milhões de doses da CoronaVac, envasada pelo Instituto Butantan no Brasil com insumos vindos da China. De acordo com Dimas Covas, não há previsão de quando o Butantan receberá uma nova remessa de IFA, que já acabou, para seguir com a produção da vacina.

“Preocupa muito o cronograma de vacinação, não neste momento, mas a partir de junho poderá sofrer algum impacto”, afirmou o diretor do Butantan, que lembrou que a vacina de Oxford/AstraZeneca, envasada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) no Brasil, também depende da importação de IFA chinês.

“Não temos definição da liberação do insumo na China. Existe a definição de 4 mil litros, sim, e esperamos que até na quarta-feira (12) possamos ter uma notícia positiva”, acrescentou o diretor do Butantan, que espera a chegada do lote até o dia 18 de maio.

Ataques de Bolsonaro à China atrapalham importação de IFA ao Brasil

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), participou da coletiva de imprensa e voltou a dizer que os recentes ataques do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e do ministro da Economia, Paulo Guedes, à China são responsáveis pelo atraso na liberação dos insumos pelo país asiático.

“É muito claro que há uma limitação determinada pelo governo da China dadas as circunstâncias das manifestações absolutamente inapropriadas, inadequadas e inoportunas do governo brasileiro através das suas autoridades”, disse Doria. No entanto, o governador também afirmou que o ministro das Relações Exteriores, Carlos França, está trabalhando para agilizar a importação do novo lote de IFA.

No total, o Instituto Butantan, já entregou mais de 45 milhões de doses da CoronaVac ao Programa Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde. A expectativa é que mais 1 milhão de doses sejam entregues na quarta-feira (12), o que finalizaria o envio das 46 milhões de doses previstas na primeira parte do contrato entre o Butantan e o governo federal.

As entregas da segunda parte do contrato, que prevê o total de 54 milhões de doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde, devem começar na sexta-feira (14) com o envio de mais 1,1 milhão de doses ao PNI.

Veja Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.