Uso da vacina emergencial será decidido pela Anvisa no próximo domingo

3

A reunião que vai decidir a liberação da vacina emergencial do Instituto Butantan e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) contra a covid-19 está prevista para acontecer no próximo domingo (17). Essa data é a penúltima ao do prazo estabelecido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Em comunicado, a agência afirma que “Faz-se necessária a entrega, em tempo hábil para análise, dos documentos faltantes e complementares”.

No último sábado (9) foi informado o recebimento da documentação enviada pela Fiocruz, porém foi exigido do Instituto Butantan informações mais detalhadas da Coronavac; alegando que o documento enviado estaria incompleto.

Ontem (12), o Butantan divulgou a taxa de eficácia da vacina (Coronavac), ficando com 50,38% de aprovação, conforme testes realizados no Brasil.

Neste momento, o Instituto Butantan detém de 6 milhões de doses, as quais o instituto recebeu prontas, vindas da China. Já a Oswaldo Cruz aguarda a chegada de 2 milhões de doses importadas da Índia.

A Anvisa informou que o prazo para analisar é de dez dias. Entretanto, o registro definitivo pode ocorrer em até 60 dias.

O uso da vacina emergencial será destinada para o público anteriormente testado em estudos, que será definido pelos laboratórios. Até o momento, a Anvisa não divulgou para quais grupos específicos recebeu os pedidos de Fiocruz e Butantan, mas adiantou que os requerimentos são para um público alvo e estarão em análise pela agência nos próximos dias. Ainda foi informado a necessidade de assinar um termo de consentimento para quem for tomar a vacina emergencial.

Público Alvo

O Ministério da Saúde informou que essa primeira fase irá priorizar a vacinação dos trabalhadores de saúde, idosos com idade superior a 60 anos, populações indígenas, ribeirinhas e quilombolas, pessoas com comorbidades, professores, profissionais de forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional, população privada de liberdade e pessoas com deficiência permanente severa.

Com informações do G1

Leia também: Covid-19: Prefeito de Goiânia morre após mais de 80 dias internado

Leia Também:

3 Comentários
  1. […] Em nota, a empresa também havia divulgado que a prioridade será o fornecimento ao setor público no Brasil. Todavia, ressaltou que a estimativa de quantas doses podem ser entregues ao País e em qual prazo depende de contratos e também da aprovação do imunizante pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). […]

  2. […] Uso da vacina emergencial será decidido pela Anvisa no próximo domingo […]

  3. […] dados da terceira fase de estudos da vacina apresentados à Anvisa, ainda não houve pedido para uso emergencial. Segundo a Pfizer, 70 milhões de doses do imunizante foram oferecidas ao governo, que possui o […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.