Um em cada 5 pacientes com Covid-19 desenvolve doença mental em 90 dias, diz pesquisa

Pacientes recuperados do novo coronavírus podem desenvolver ansiedade, depressão e insônia

1

Um novo estudo descobriu que uma em cada cinco pessoas infectadas com o novo coronavírus pode desenvolver algum transtorno psiquiátrico, incluindo ansiedade e depressão, dentro de 90 dias após o diagnóstico.

Os resultados foram publicados na revista The Lancet Psychiatry, a partir da análise dos registros eletrônicos de saúde de 69 milhões de pessoas. Destes, 62.354 foram diagnosticados com a covid-19 entre janeiro e agosto.

A pesquisa foi realizada por pesquisadores do Departamento de Psiquiatria da Universidade de Oxford, no Reino Unido, e do TriNetX, em Cambridge, Estados Unidos. A equipe avaliou se um diagnóstico de Covid-19 estava vinculado ao aumento das taxas de diagnósticos psiquiátricos subsequentes.

Ansiedade, depressão e insônia foram os distúrbios mais comuns entre os pacientes recuperados e analisados pelo estudo. Os pesquisadores também encontraram riscos significativamente maiores de demência (uma condição neurodegenerativa). O estudo também descobriu que pessoas com doença mental pré-existente tinham 65% mais chances de serem diagnosticadas com covid-19 do que aquelas sem.

Para os pacientes sem históricos psiquiátricos anteriores à doença, estar infectado com covid-19 estava relacionado a uma maior incidência de diagnóstico de problemas mentais, principalmente entre os 14 a 90 dias seguintes.

“Os sobreviventes da Covid-19 parecem ter um risco maior de sequelas psiquiátricas, e um diagnóstico psiquiátrico pode ser um fator de risco independente para Covid-19. Embora preliminares, nossos resultados têm implicações para os serviços clínicos, e estudos prospectivos são necessários”, recomendou o estudo.

Além disso, o estudo informou que ainda não está claro se a ansiedade pós-covid irá evoluir ou se tornar uma doença semelhante a um transtorno pós-traumático. Eles também descobriram que as taxas de insônia foram elevadas, embora não haja novos casos de transtornos psicóticos.

“Em conclusão, nossos resultados são de robustez e magnitude suficientes para algumas implicações imediatas. Os números fornecem estimativas mínimas do excesso de morbidade psiquiátrica a ser antecipada em sobreviventes de Covid-19 e para os quais os serviços precisam ser planejados”, informou o estudo.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.