UFPB ajuda órgãos de defesa a garantir auxílio emergencial

Estudantes e professores fazem o atendimento. Ainda, oferecem instruções para quem quer implantar ações semelhantes em todo o país

0

Professores e estudantes da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) integram projeto para garantir o auxílio emergencial. A iniciativa tem ajudada trabalhadores e famílias do estado paraibano, que tiveram indeferimento do pedido.

Projeto da UFPB para o auxílio emergencial: conheça!

De acordo com os idealizadores do projeto, as ações se focam em levantar informações para instrução processual. Os dados são essenciais para que os representantes jurídicos das famílias possam avaliar a viabilidade das ações judiciais envolvendo deferimentos do auxílio emergencial.

Conforme o coordenador do projeto, Marcelo Sitcovsky, a iniciativa da UFPB conta com uma equipe de voluntários formada por 35 pessoas, em média.

“Professores, estudantes e profissionais se colocaram à disposição. É preciso ser docente ou discente da UFPB. No entanto, recebemos voluntários que não são da universidade e são bem-vindos. Assim, atuam como profissionais em várias áreas. Estamos acolhendo, por exemplo, colaboradores que moram ou trabalham na Paraíba. A justificativa é tornar mais fácil o contato com as famílias para resolver as questões do auxílio emergencial e outras, mesmo que de forma remota.”, explica o professor.

O atendimento e o acompanhamento dos casos tem sido feito por e-mail, nos primeiros contatos. Isto, para preservar a saúde de todos frente à pandemia.

Marcelo conta que ação surgiu a partir de contatos com membros de movimentos sociais. Eles atuam em busca de garantir direitos e moradias para a população da Paraíba, em especial, na cidade de João Pessoa.

Segundo Marcelo Sitcovsky, há uma demanda significativa nas instituições jurídicas e, assim, elas não estão em condições de atender pontualmente. O tempo e a urgência necessários, para responder todas as famílias e garantir o auxílio emergencial, dificultaram a atuação dos órgãos jurídicos.

Dados imprecisos no auxílio emergencial…

“Eles organizaram uma força tarefa para reunir esforços no sentido de dar vazão a toda demanda apresentada pela população. São questões mais organizativas. Imprecisões de informações, por exemplo, que os bancos de dados do Governo Federal não atualizaram. Dados relativos a emprego, desemprego e informalidade.”, revela o professor

Marcelo ainda destaca que a participação no projeto da UFPB tem por objetivo oferecer subsídios. Além disso, complementar informações prestadas na representação inicial do processo jurídico.

A intenção, assim, é fazer com que o grupo contribua para o preenchimento e a correção de lacunas, Isto, por meio de levantamento de dados e de documentos complementares à instrução processual que envolvem o auxílio emergencial.

Assessoria jurídica gratuita

“É uma assessoria jurídica de forma gratuita. Desta forma, esperamos contribuir com os processos para que as ações possam ser ajuizadas e, acima de tudo, garantido o direito às família.”, argumenta Marcelo. “Temos indivíduos que se dispuseram a contribuir, por exemplo, dividindo tarefas profissionais de forma remota e atuando em horários disponíveis.”, finaliza o professor da UFPB.

O atendimento é feito pelo e-mail: também é feito pelo e-mail: [email protected]. Por este mesmo endereço é possível contatar os organizadores do projeto da UFPB ou, ainda, ter informações sobre como promover essa ação em outros locais.

 

Com informações do Jornal da Paraíba

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.