Tuberculose: Amazonas registra 1,9 mil novos casos em 2020

0

Durante o período de janeiro a agosto deste ano, o Amazonas registrou 1.923 novos casos de tuberculose. Destes, 73,8% foram diagnosticados em Manaus, capital, e os demais distribuídos em outros 61 municípios do estado. A pesquisa foi realizada pelo Programa Estadual de Controle da Tuberculose (PECT), da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM).

A FVS-AM e a Secretaria de Saúde do Amazonas enfatizam a necessidade da adoção de medidas de prevenção à doença. De acordo com a Secretaria, as medidas de prevenção à tuberculose são semelhantes às de combate à Covid-19: “uso de máscara de proteção respiratória, que evita a disseminação da bactéria no ambiente e protege outras pessoas da doença; higienização das mãos; manter os ambientes arejados e o distanciamento social que protege as pessoas que convivem no mesmo local e também aqueles que circulam no mesmo espaço”, informa.

Sobre a Tuberculose

De acordo com o Ministério da Saúde, a tuberculose é uma doença infectocontagiosa causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis, também conhecida como bacilo de Koch. Segundo a Pasta, no Brasil são notificados cerca de 70 mil casos novos por ano. Além disso, ocorrem cerca de 4,5 mil mortes por causa da tuberculose.

Apesar de afetar a região pulmonar, a doença ainda pode ocorrer em outras partes do corpo, sendo, desta forma, considerada como um quadro de tuberculose extra-pulmonar. Neste caso, a forma extrapulmonar, que acomete outros órgãos que não o pulmão, ocorre mais frequentemente em pessoas que vivem com HIV.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera a tuberculose como o principal fator de morte por um único agente infeccioso no mundo. Isso porque 10 milhões de pessoas adoecem por tuberculose no mundo, sendo que a doença leva mais de um milhão de pessoas a óbito anualmente.

Sintomas

De acordo com o MS, o principal sintoma da tuberculose pulmonar é a tosse na forma seca. Contudo, a doença pode acarretar em outros sintomas:

Febre vespertina
Sudorese noturna
Emagrecimento
Cansaço/fadiga

O MS informa que o tratamento da doença dura, no mínimo, seis meses. Além disso, está disponível de forma gratuita no Sistema Único de Saúde (SUS).

Com informações da Secretaria de Saúde do Amazonas e do Ministério da Saúde

Veja também: Tuberculose: SUS terá três novas tecnologias para tratamento da doença

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.