Trabalho remoto não prejudicou produtividade, dizem senadores

Em entrevistas, senadores afirmaram que o trabalho remoto não foi um problema. Eles destacaram também as leis de proteção ao trabalhador

1

O Senado Federal está atuando de maneira remota desde o dia 20 de março deste ano. Tudo por causa da pandemia do novo coronavírus. Mas esse trabalho remoto não afetou a produtividade dos senadores. Pelo menos essa é a opinião dos próprios senadores.

De acordo com o senador Eduardo Braga, do MDB do Amazonas, o Senado conseguiu manter o seu nível de trabalho. Entre outras coisas, ele destacou a atuação dos senadores na aprovação do Orçamento de Guerra.

“Se não fosse isso, os estados e municípios teriam muita dificuldade para pagar os salários dos servidores”, disse ele. De acordo com os dados oficiais, o Senado Federal aprovou 257 matérias entre os dias 20 de março e 16 de dezembro.

Entre essas matérias estão 3 propostas de emendas à Constituição, 46 MPs, 96 projetos de lei, 12 projetos de lei complementar e 5 projetos de lei complementar. A senadora Zenaide Maia, do PROS do Rio Grande do Norte, disse que o legislativo atuou muito bem.

“Nós agimos de maneira mais eficiente do que o Governo Federal. Se o Auxílio Emergencial está aí hoje é por causa do Parlamento”, disse a senadora. “O Governo queria colocar R$200, e nós conseguimos subir para R$600”, completou.

Produtividade no Trabalho Remoto

Muitos dos projetos que tiveram aprovação no Senado neste ano acabaram influenciando diretamente a vida dos trabalhadores. O Auxílio Emergencial, aliás, talvez seja o maior desses projetos até aqui neste ano de 2020.

Mas o Governo Federal é o responsável por esse dinheiro. Agora, alguns membros do Senado estão pressionando o Governo para a criação de um programa de transferência de renda para 2021. Seja como for, o Governo já nem cita mais esse assunto.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.