Todo excesso esconde uma falta?

0

Insegurança demais, ciúmes demais, carência demais, atenção demais, brigas demais, críticas demais… tudo isso pode indicar alguma outra coisa que está por trás. Os excessos aparecem em determinada área quando algo está faltando em outra. É uma forma de compensação, uma tentativa de preencher o que está vazio.

Aquela pessoa que é muito cheia de si, geralmente não se acha isso tudo, mas tenta convencer os outros de que é, sim. Aquela outra que é muito ciumenta, geralmente pode não ter uma autoestima saudável, o que gera insegurança. Já a outra, que é carente demais, tenta compensar a falta de amor próprio com o afeto dos outros.

Ou seja, todo excesso, seja de nós mesmos ou de algumas de nossas características vem demonstrar uma falta de equilíbrio. Assim como a necessidade de exibição dessas características. A exibição e ostentação de dinheiro mostra uma ausência de valores amorosos. Assim como a exibição e humilhação através da posse de dotes intelectuais, mostra a necessidade de subjugar o outro, compensando uma provável subjugação do passado. O excesso de sociabilidade, escancarando a necessidade de ser aceito, quando de forma inconsciente não há a aceitação por parte de si mesmo. E daí por diante.

Toda falta gera em nós um vazio, que em nós permanece de forma inconsciente, e na maioria das vezes por muito tempo. Anos a fio. É pelo despertar de consciência, pelo autoconhecimento, o se olhar para dentro, que nos permite finalmente preencher esses “buracos” de forma adequada. Não mudamos a história de nosso passado, mas somos capazes de mudar o que sentimos ao lembrar de nossas histórias. Transformamos nossas mágoas e dores em compreensão e aceitação.

E por aí vai! Se você identificou algum excesso por aí,  procure um psicólogo pra te ajudar nesse processo de autoconhecimento!

Essa reflexão fez sentido pra você?

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.