SP não fornecerá mais transporte gratuito para idosos de 60 a 65 anos de idade

De acordo com o Idec, a economia por parte do governo será irrisória, mas o mesmo não se repetirá para os idosos

2

Uma decisão do governador do estado de São Paulo, João Doria (PSDB), juntamente com o prefeito da capital, Bruno Covas (PSDB), determinou o fim da gratuidade nos transportes públicos para os idosos quem têm entre 60 e 65 anos.

Leia também: Projeto define regras para compra de vacina contra covid-19

A nova regra foi publicada nesta quarta-feira (23) e passará a valer a partir do dia primeiro de janeiro de 2021. Agora, a tarifa de transporte será gratuita apenas para as pessoas com mais de 65 anos.

Em nota, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) lamentou a decisão. No comunicado, Rafael Calábria, especialista de mobilidade urbana do Idec e membro do Conselho Municipal de Transporte e Trânsito de São Paulo (CMTT), explica que uma medida como essa deveria ter sido debatida melhor com a sociedade.

“Da forma como ocorreu foi um total desrespeito ao direito do usuário. Tínhamos uma reunião do Conselho agendada ontem (22), onde a prefeitura poderia ter levado o assunto para discussão, mas o encontro foi suspenso por problemas de segurança digital”, revelou.

São Paulo não fornecerá mais transporte gratuito para idosos de 60 a 65 anos de idade
De acordo com o Idec, a economia por parte do governo será irrisória, mas o mesmo não se repetirá para os idosos. (Reprodução/ Idec)

Também em nota, o Governo de SP justificou que a medida na política de benefícios no transporte de idosos vai ao encontro da revisão gradual das políticas voltadas para essa população.

“Para acompanhar o Estatuto do Idoso, será mantida a gratuidade nas passagens dos ônibus municipais e intermunicipais (EMTU), Metrô e CPTM para as pessoas acima de 65 anos de idade”, explicou.

Além disso, continuou o documento do governo, a mudança vem porque outras medidas com relação aos benefícios dos idosos também tiveram suas idades mínimas alteradas.

Como exemplo, a nota lembrou da ampliação da aposentadoria compulsória no serviço público, que passou de 70 para 75 anos e a recente Reforma da Previdenciária, que além de ampliar o tempo de contribuição, fixou a idade mínima de 65 anos para aposentadoria para os homens e 62 anos para as mulheres.

Mudança: impacto baixo para o governo e alto para os idosos

De acordo com o Idec, a economia por parte do governo será irrisória, mas o mesmo não se repetirá para os idosos. “Grande parte dos idosos usa o RG para acessar os ônibus e ficam antes da catraca e em alguns meses o sistema de ônibus de São Paulo vai passar a pagar as concessionárias por custo, e não por passageiro transportado”, explica o Idec.

Dessa forma, ressalta o instituto, o impacto das gratuidades dos idosos será diminuído mais ainda. “Ou seja, a medida não terá impacto significante para o subsídio, mas impactará profundamente a vida de idosos vulneráveis na cidade”, finaliza a nota do instituto.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

2 Comentários
  1. alfredo dos santos Diz

    Este politicos so para tirar benefios do povo mas para aumentar os salarios dele são rapidos enquanto os trabalhadores pega um micharia de reajusto eles aumentar 48 por cento do salarios deles temos que ta de olhos nos maus politicos e barer de vez de comandar nosso pais meu no e fredao

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.