Sergio Moro e André Mendonça, ministro da justiça, discutem em rede social

O estranhamento começou após Sergio Moro criticar o presidente Jair Bolsonaro pela demora do Brasil em começar a vacinar a população contra a Covid-19

4

O mundo da política, às vezes, é mais agitado do que o das celebridades do entretenimento. Desta vez, a polêmica envolveu o atual ministro da Justiça, André Mendonça, e o ex chefe da pasta, Sergio Moro. Os dois se estranharam no fim da tarde de ontem, segunda-feira (28), após Moro ter criticado o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) em uma rede social.

Leia também: STF exonera secretário que pediu reserva de vacinas contra a Covid-19

Na publicação, Sergio Moro criticou Bolsonaro pela demora do Brasil em começar a vacinar a população contra a Covid-19. Recentemente, vários países já começaram as companhas de vacinação. Hoje (29), inclusive, a Argentina, país vizinho, também começa sua campanha de imunização.

Enquanto isso, no Brasil, apesar de o governo ter contrato com a vacina de Oxford, que será produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), nenhum imunizante se quer foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Vários países, inclusive da América Latina, já estão vacinando seus nacionais contra a Covid-19. Onde está a vacina para os brasileiros? Tem previsão? Tem Presidente em Brasília? Quantas vítimas temos que ter para o Governo abandonar o seu negacionismo?”, publicou Sergio Moro na rede social.

Instantes depois, André Mendonça publicou uma mensagem criticando o ex-ministro, dizendo que ele entregou tão pouco à frente da pasta quando, na realidade, muito era esperado do ex-juiz. “Vi que @SF_Moro perguntou se havia presidente em Brasília? Alguém que manchou sua biografia tem legitimidade para cobrar algo? Alguém de quem tanto se esperava e entregou tão pouco na área da Segurança?”, respondeu o ministro da Justiça.

“Quer cobrança? Por que em 06 meses apreendemos mais drogas e mais recursos desviados da corrupção que em 16 meses de sua gestão?”, adicionou André Mendonça. Em resposta, Moro relembrou da suposta interferência na Polícia Federal (PF).

“Ministro, o senhor nem teve autonomia de escolher o Diretor da PF ou de defender a execução da pena da condenação em segunda instância (mudou de ideia?), então me desculpe, menos. Faça isso e daí conversamos.”

Depois da resposta de Sergio Moro, André Mendonça não respondeu mais o ex-ministro. Vale a pena lembrar que Moro deixou o governo em abril deste ano em meio a uma acusação de que Bolsonaro teria tentado interferir na PF. O Supremo Tribunal Federal (STF), continua investigando o caso.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.