Saques da poupança superam captações em R$ 3,524 bilhões em março

Este é o terceiro mês seguido de resultado negativo

3

A caderneta de poupança atraiu muitos brasileiros em 2020. O ano passado chegou ao fim atingindo um valor recorde de captação líquida (R$ 166,309 bilhões). Contudo, neste ano, as coisas estão bem diferentes. Isso porque, nos três primeiros meses de 2021, o saldo ficou negativo em todos eles.

Em janeiro, houve saque líquido de R$ 18,153 bilhões, o que representa o maior valor para este indicador de toda a série histórica, e para qualquer mês. Já em fevereiro, os saques superaram as captações em R$ 5,864 bilhões, chegando a um saque líquido de R$ 3,571 bilhões.

Agora, em março, os saques superaram os depósitos pelo terceiro mês seguido. Dessa forma, as retiradas ficaram maiores que as novas captações em R$ 3,524 bilhões. A saber, o Banco Central (BC) divulgou os dados nesta quarta-feira (7). 

Aliás, em março de 2020, houve captação líquida de R$ 12,168 bilhões. À época, o mundo começava a enfrentar, de fato, a pandemia da Covid-19, decretada no próprio mês pela Organização Mundial da Saúde (OMS). E, até hoje, todo o globo ainda sofre com os impactos provocados pela crise sanitária.

Vale destacar que, com a soma do resultado de março, os saques líquidos da poupança chegam a R$ 27,541 em 2021. A propósito, a última vez em que houve o registro de três meses seguidos com saques superiores às captações foi de fevereiro a abril de 2017.

Além disso, o saldo de março se somou ao rendimento de R$ 1,743 bilhão creditado no mês. Dessa forma, o saldo total da poupança alcançou a marca de R$ 1,013 trilhão. Este valor ficou novamente menor que o registrado no mês anterior (R$ 1,014 trilhão).

 

Captações superam saques em 2020

Em resumo, captação líquida é o resultado da diferença entre depósitos e saques da poupança. Assim, os saldos mensais mostram que houve mais dinheiro retirado do que investido na aplicação financeira no primeiro trimestre de 2021.

No ano passado, os dois primeiros meses também registraram mais saques do que captações. Contudo, a partir de março, com a explosão da pandemia da Covid-19 no país, houve muito mais investimentos que retiradas. Por isso que o ano passado teve a maior captação líquida da história da poupança.

Os investimentos na poupança ficaram em alta durante todo o ano passado, mesmo com os juros básicos mais baixos. O rendimento correspondeu a 70% da Taxa Selic, que define os juros básicos da economia. Contudo, com as reduções na Selic em 2020, o investimento acabou rendendo menos que a inflação. 

De acordo com o Banco Central, a aplicação rendeu 2,29% no acumulado de 2020. Nesse mesmo período, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), prévia oficial da inflação, atingiu 3,52%.

 

Leia Mais: FMI aumenta levemente sua projeção de crescimento para o Brasil em 2021

Leia Também:

3 Comentários
  1. […] Saques da poupança superam captações em R$ 3,524 bilhões em março […]

  2. […] Saques da poupança superam captações em R$ 3,524 bilhões em março […]

  3. […] Leia Mais: Saques da poupança superam captações em R$ 3,524 bilhões em março […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.