São Paulo registra 889 mortes nas últimas 24h

O número é 36% menor do que o registrado ontem, quando a região bateu o recorde de óbitos desde o início da pandemia da Covid-19: 1389

0

Números atualizados na noite desta quarta-feira (07) pelo governo de São Paulo mostram que o estado registrou 889 mortes nas últimas 24h. O número é 36% menor do que o registrado na terça-feira (06), quando a região bateu o recorde de óbitos desde o início da pandemia da Covid-19: 1389.

‘Temos que seguir com as restrições’, diz secretário da Saúde de SP

Com os números de hoje, São Paulo chegou a 79.443 mortes e 2.576.362 casos. Dos infectados, 2.218.618 estão recuperados, sendo que, destes, 260.756 precisaram ficar internados, mas já receberam alta hospitalar.

Ocupação de leitos Covid-19 em queda

Também ainda de acordo com os números atualizados nesta quarta (07), o estado de São Paulo tem 28.631 pacientes internados por conta da Covid-19, sustentando a tendência de queda nas hospitalizações pela doença.

O patamar de hoje é similar ao registrado em 21 de março, sendo que após essa data, até ontem, quando o estado tinha 29.510 pessoas internadas, os números se mantiveram acima de 29 mil, chegando a atingir 31 mil internados no pico da segunda onda.

Entre os 28,6 mil internados, 12.818 estão em leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e os outros 15.813 se encontram na enfermaria. “Em ambos os tipos de leitos houve queda: o patamar esteve acima de 13 mil pacientes em UTIs e chegou a ultrapassar 18 mil em leitos clínicos”, informou o governo do estado.

Atualmente, as taxas de ocupação dos leitos de UTI atingiram a marca de 88,6% no Estado e 88% na Grande São Paulo, as menores taxas do mês de abril.

Fase emergencial 

Na tentativa de frear a disseminação da Covid-19, o governo do estado prorrogou, recentemente, a Fase Emergencial do Plano São Paulo até o dia 11 de abril, mantendo as restrições mais rígidas.

De acordo com a gestão do governador João Doria (PSDB), a medida tem o intuito de “garantir a assistência a vida e conter a sobrecarga em hospitais de todo o Estado, além de frear o aumento de novos casos, internações e mortes pela Covid-19”.

Covid-19: MG tem recorde de mortes; veja os números

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.