São Paulo recebe 2 milhões de doses da CoronaVac

O lote de 2 milhões de doses da vacina está pronto para aplicação e chegou à São Paulo na manhã desta sexta-feira.

3

Na manhã desta sexta-feira, 18 de dezembro, o governo do estado de São Paulo recebeu mais 2 milhões de doses da vacina CoronaVac. A entrega foi realizada às 6h26 no Aeroporto Internacional de Guarulhos, e recebida pelo governador João Doria. Junto com o governador estiveram Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, e Jean Gorinchteyn, secretário estadual da Saúde.

As novas doses da vacina foram produzidas pelo laboratório chinês Sinovac. Em São Paulo, a produção da CoronaVac está sendo realizada pelo Instituto Butantan. Além disso, o Instituto também é responsável pela condução dos testes da vacina em voluntários para obtenção de autorização para seu uso. Atualmente, a vacina está passando pela fase final de testes – a fase 3, última fase antes da realização do pedido de autorização para a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Na última semana, o Instituto Butantan informou que deverá enviar o resultado conclusivo dos testes para a Anvisa no dia 23 de dezembro. Dessa forma, será solicitado o registro definitivo da vacina para seu uso em São Paulo e em todo o Brasil. Acima de tudo, a ideia é registrar a vacina já com um estudo conclusivo, possibilitando maior confiabilidade para aqueles que forem recebê-la. Assim, espera-se que o registro definitivo da CoronaVac seja aprovado até o final do ano. Como resultado, seria possível manter o cronograma de vacinação de São Paulo divulgado pelo governo. O cronograma iniciaria em 25 de janeiro, dia do aniversário da cidade.

Distribuição da vacina em São Paulo

Com o novo lote recebido – o terceiro – o estado terá a sua disposição mais de 3 milhões de doses da vacina para imunização da população de São Paulo. Até 15 de janeiro, deverão estar disponíveis 9 milhões de doses da vacina. 

Desse modo, os estudos com a vacina foram encerrados na última semana, quando ultrapassou-se o mínimo de 154 voluntários dos testes infectados pelo novo coronavírus. O pedido para uso emergencial da vacina também será solicitado para a Anvisa.

Avalie o Artigo:
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.