Saiba quem é Changpeng Zhao e entenda como ele ficou milionário com o Bitcoin

Conheça o milionário chinês-canadense e CEO da Binance Changpeng Zhao, o CZ, e saiba o que ele fez para ganhar milhões com Bitcoins

0

O mercado de critptoativos chegou para ficar e é um absoluto sucesso de volume de transações e faturamento em todo o mundo. No escopo dessa novidade que tomou os noticiários de economia ao redor do planeta, estão os figurões desse mercado. Campeões que, na sua maioria, começaram a negociar e ficaram muito ricos com o maior dos criptoativos, o Bitcoin.

Um dos grandes players nesse negócio é o jovem milionário chinês-canadense Changpeng Zhao, popularmente conhecido como CZ, de 44 anos. Changpeng é o fundador e CEO da Binance, a maior exchange do mundo. Exchanges são plataformas de negociação de criptomoedas, semelhantes às corretoras da bolsa de valores.

Changpeng Zhao, o CZ. (foto: reprodução/fortune.com)

O primeiro contato com o Bitcoin

Em entrevista concedida ao LatePost, um portal de notícias chinês, CZ conta algumas curiosidades sobre sua caminhada no mundo das criptomoedas. Changpeng revela, por exemplo, que o seu primeiro contato com o Bitcoin foi em 2013, quando ele teve a oportunidade de ler o white paper da criptomoeda e achou o projeto muito promissor. White papers são uma espécie de apresentação de plano de negócios das criptomoedas em que vários dados técnicos e planos para o futuro do ativo digital são expostos aos seus futuros clientes e interessados.

Porém, apesar do entusiasmo com a ideia, Changpeng conta que na época afirmou que para dar certo, o Bitcoin precisaria de toda uma rede de suporte e divulgação. Para verificar o andamento do projeto, ele foi convidado para uma reunião em Las Vegas e aceitou ir. Chegando lá, grandes nomes do mercado de criptomoedas estavam presentes.

“Quando fui lá, descobri que essas pessoas eram muito sinceras e trabalhadoras. Naquela época, um homem me transferiu algumas moedas para me ensinar a usar a carteira. Depois de aprender, eu disse que transferiria as moedas de volta para ele. Ele disse que não, você pode mantê-lo e usá-lo para ensinar outra pessoa. Dei uma olhada. Custava cerca de US$ 300 dólares, alguns milhares de RMB. Essas pessoas não têm a intenção de roubar dinheiro ou fazer coisas erradas”, disse CZ.

Uma aposta alta

Changpeng Zhao revelou ainda que em 2014 chegou a vender uma casa que possuía em Xangai, cidade onde morava na China, para investir em Bitcoins. O criptoativo que hoje custa cerca de US$ 35.000, na época valia em torno de US$ 300.

CZ, que tinha uma carreira como programador de softwares para o mercado financeiro, viu ali uma grande oportunidade de investimento. Como ainda trabalhava no mercado tradicional, ele viu em um bem imóvel que possuía o seu principal ativo para início no mercado das criptomoedas.

“Quando estava saindo do aeroporto após a reunião, disse que venderia minha casa e compraria bitcoin, e que deixaria meu emprego e me uniria a 100% da indústria, fosse ela qual fosse”, contou o milionário e CEO da Binance.

A princípio, o investimento não vingou

Logo após ter vendido a sua casa para comprar Bitcoins, parecia que o tiro havia saído pela culatra. Acontece que o preço da criptomoeda caiu, enquanto que o valor de mercado da casa que Changpeng havia se desfeito, subiu.

“Lembro que menos de um ano depois de vender minha casa, o preço da casa dobrou e o Bitcoin caiu para um terço de seu valor original, o que é uma diferença de seis vezes. Naquela época, eu estava sob pressão. Todo mundo estava errado ou eu estava apenas errado? Provavelmente, eu sou o único errado. Mas eu não conseguia ver por que estava errado, porque pensei que era o futuro. Em 2001, quando a bolha das pontocom estourou, Amazon, eBay e até mesmo o Google também perderam 98% de seu valor. Todos passaram por essa fase.” finalizou Changpeng Zhao.

Changpeng conta que com todo esse prejuízo, precisou voltar ao trabalho tradicional nos bancos, função que ele não queria mais exercer. Entretanto, toda essa crise financeira que se instaurou na vida de CZ não o fez perder a fé no mercado de criptoativos. Segundo o milionário, grande partes daqueles Bitcoins estão com ele até hoje.

Hoje o chinês-canadense é um dos nomes mais importantes do seguimento e pode, sem dúvidas, comprar várias casas iguais à que ele se desfez em 2014.

Leia também: Vem aí o ‘imposto da era digital’, entenda

Veja Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.