Rio não poderá ter qualquer queima de fogos ou uso de equipamentos de som na praia

O prefeito em exercício do Rio, o vereador Jorge Felippe, decidiu ampliar as medidas restritivas para evitar aglomeração de pessoas durante o réveillon da cidade

3

As restrições de final de ano no Rio de Janeiro foram ampliadas. Isso porque o prefeito em exercício do Rio, o vereador Jorge Felippe (DEM), decidiu ampliar as medidas restritivas para evitar aglomeração de pessoas durante o réveillon da cidade.

Leia também: Nova cepa do coronavírus é registrada em ao menos sete países europeus

Agora, além de fechar os acessos à praia de Copacabana, tradicional palco da festa da virada, que foi cancelada, a prefeitura vai proibir, também, todas as queimas de fogos e o uso de equipamentos de som em toda a orla da cidade.

Na última quarta-feira (23), Jorge Felippe já havia adiantado algumas das medidas restritivas como o bloqueio de Copacabana, a proibição de estacionamento de veículo na orla e ruas do entorno, o bloqueio do transporte público para acesso a Copacabana e a proibição de festas privadas tanto no calçadão quanto na areia.

Rio não poderá ter qualquer queima de fogos ou uso de equipamentos de som na praia
O prefeito em exercício do Rio de Janeiroi decidiu ampliar as medidas restritivas para evitar aglomeração de pessoas durante o réveillon da cidade. (Foto: reprodução)

De acordo com o prefeito, o decreto com todas as medidas restritivas será publicado na próxima segunda-feira (28). Confira as principais restrições:

  • A queima de fogos ficará proibida em toda a orla da cidade desde as 0h do dia 30 de dezembro até as 7h do dia 1º de janeiro. Nem mesmo a rede hoteleira poderá acionar fogos de artifício;
  • O uso de equipamentos de som será proibido em toda a extensão da orla a partir da 0h do dia 31 até as 6h do dia 1º;
  • O trabalho dos ambulantes também será restringido. A permanência de barraqueiro em ponto fixo, tanto na areia da praia quanto no calçadão, ficará proibida das 0h do dia 31 às 6h do dia 1º;
  • Ônibus, micro-ônibus e vans de fretamento não poderão entrar na cidade do Rio de Janeiro a partir do primeiro minuto do dia até as 6h do dia 1º.

Vale lembrar que as festas públicas de réveillon em Copacabana já tinham sido canceladas pelo prefeito Marcelo Crivella, preso na última semana.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.