Retomar ou não as aulas? Como o mundo está reagindo

Após polêmicas sobre o tema no Brasil, saiba como está sendo a retomada das aulas em outros países.

3

Foi anunciada nesta sexta-feira (5/6) a reabertura das escolas em capitais brasileiras como São Paulo, Rio de Janeiro e Fortaleza.  Logo depois, o governo de São Paulo recuou, afirmando que só seria possível retomar as aulas em caso de aprovação do Centro de Contingência do coronavírus, possibilidade até então descartada.

O tema sobre a retomada das aulas presenciais segue gerando debates, em especial em função do número crescente de mortes causadas pelo novo coronavírus no país. Em contrapartida, há a pressão daqueles que apoiam a retomada das atividades presenciais.

Apesar das críticas em relação às regras de flexibilização do distanciamento social em diversos países, alguns estão, pouco a pouco, retomando as aulas presenciais.

Medidas tomadas para a retomada das aulas

Na Inglaterra, pais, professores e governos locais questionam a retomada das aulas, apesar das medidas de contingenciamento tomadas. Da mesma forma, grande parte da população considera a decisão precipitada.

No país, as escolas do ensino básico foram as primeiras a retomar as aulas. Dessa forma, a ação seria um meio de tentar ajudar os pais que precisam voltar ao trabalho.  Apesar da orientação para manter distância, não é possível prever se crianças pequenas conseguirão cumprir as medidas. Além do distanciamento, foram implantadas medidas como o uso de máscaras, controle de temperatura, desinfecção de ambientes e alunos, controle de temperatura e turmas divididas em grupos menores, com diferentes horários de entrada e saída.

Outros países como China, Coreia do Sul, Dinamarca, Finlândia, França, Inglaterra e Portugal também iniciaram processos de retomada das aulas. Em todos os casos, medidas semelhantes de controle da disseminação do vírus foram tomadas.

Em contrapartida, a França e a Coreia do Sul tiveram que suspender novamente as aulas após um curto período de tempo, com surgimento de novos casos de transmissão da Covid-19.

Acima de tudo, os acontecimentos em relação à retomada das aulas no mundo mostram que um grande passo como esse exige planejamento e calma. Evitando se precipitar, poderão ser poupadas milhares de pessoas que poderiam ser contaminadas pelo vírus.

3 Comentários
  1. […] decisão tem como objetivo reorganizar o calendário das instituições de ensino que tiveram suas programação prejudicada pela suspensão das aulas […]

  2. […] decisão tem como objetivo reorganizar o calendário das instituições de ensino que tiveram suas programação prejudicada pela suspensão das aulas […]

  3. […] pandemia é uma tarefa difícil. Será preciso manter uma série de cuidados, como os adotados em outros países que já retomaram suas atividades. Afastamento físico dos colegas, usar máscara todo o tempo e […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.