Reprovação é tema polêmico na pandemia

Em São Paulo, não haverá reprovação por desempenho escolar. Somente estudantes que não entregaram atividades ficarão retidos.

0

O ano letivo de 2020 foi conturbado para os estudantes de todo o mundo. Um dos maiores desafios do setor educacional durante esse período foi conseguir dar continuidade às atividades, antes desenvolvidas em sala de aula, de forma on-line. Entretanto, apesar dos esforços de escolas e professores, muitos estudantes não conseguiram acompanhar as aulas. E, mesmo aqueles que conseguiram fazê-lo, muitas vezes tiveram dificuldades em assimilar o novo formato e conteúdos. Como resultado, muitos pais e estudantes chegaram a cogitar buscar pela reprovação de forma proposital. Assim, seria possível esses jovens cursarem o ano letivo novamente e, dessa vez, assimilar os conteúdos ensinados.

Acima de tudo, muitos dos estudantes que deixaram de acompanhar as aulas durante esse período enfrentam dificuldades relacionadas à infraestrutura. Em outras palavras, muitos desses jovens não possuem os meios necessários – como aparelhos eletrônicos e internet – para participação nas atividades propostas. De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Covid (Pnad Covid-19), 8,7 milhões de estudantes não desenvolveram aulas remotas na pandemia.

Não haverá reprovação em São Paulo

Apesar disso, recentemente o governo de São Paulo anunciou que não haverá reprovação para os estudantes da rede municipal em 2020. Segundo o secretário estadual de Educação de São Paulo, Rossieli Soares, somente serão reprovados os estudantes que não entregarem as atividades propostas. Contudo, cerca de 20% dos estudantes do estado não entregaram nenhuma das atividades propostas no período. Ou seja, 20% dos estudantes seriam reprovados, dentre os quais muitos sequer possuem a estrutura necessária para desenvolver essas atividades. Esse número corresponde a cerca de 700 mil estudantes do estado.

Para evitar a reprovação, o ano letivo de 2020 será unificado a 2021. Dessa forma, para avançar para o próximo ano – em 2022 – o estudante deverá obter média suficientes nos dois anos anteriores.

Além disso, o secretário da educação afirmou que, em breve, deverá ser lançado pelo governo um programa destinado a evitar que esses alunos abandonem os estudos. Para evitar que os estudantes buscassem a reprovação por conta própria, uma das ações tomadas foi a implementação do quarto ano do ensino médio.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.