Reforma Agrária: o que é, características e contextos

0

A reforma agrária se deu, de acordo com um conjunto de ações feitas para garantir que a distribuição de terras fosse justa, com isso, alterando alguns regimes e o tipo de uso e as propriedades. Continue aqui com o Brasil 123 para saber mais!

O intuito maior, era de garantir que grande parte das terras agricultáveis, fossem distribuídas a parte dos trabalhadores rurais. E ideia central da reforma era romper com aquela premissa de que muitas terras, estaria nas mãos de poucos, e com isso acabar ou pelo menos diminuir com o latifúndio rural.

Qual era o principal objetivo da reforma agrária

Dentro do que já foi dito, o principal objetivo era criar uma política de governo, para adotar medidas de desapropriação de grandes latifundiários. A desapropriação dos donos de terra para transferir a famílias produtoras, poderia ser realizada por uma concessão direta, ou com a necessidade de financiamentos, mas com preços acessíveis.

O Brasil, atualmente, possui uma grande concentração fundiária, que se deu devido a grandes relações de poder históricas, assim como do próprio uso da terra. Tais relações marcaram principalmente o período colonial, a república e a monarquia.

A reforma e o funcionamento do sistema capitalista

O que muitas pessoas acreditam, é que a reforma agrária é um ato socialista, mas ao contrário disso, se trata de uma reforma. A ideia de reprogramar o funcionamento para melhorar as condições de vida e as perspectivas é maior.

Grande parte dos países capitalistas, que já possuem suas economias desenvolvidas, já fazem a reforma agrária a mais tempo. Inclusive como forma de operação de política para ampliar a produtividade rural. Países como os Estados Unidos, Japão e França são grandes exemplos dessa prática.

Reforma agrária em países socialistas

Em países cujo sistema econômico é o socialismo, a reforma agrária também é executada, mas como uma maneira de estatização das terras. Nesse caso, a ação que aconteceu na China por exemplo, tem parte de seu território constituído de desertos, e por isso, a necessidade de aumentar a sua produtividade rural é mais elevada, principalmente para garantir trabalho e alimento a população.

Vendo por essas perspectivas, os chineses desapropriaram todas as propriedades particulares, passando-as aos camponeses para cultivar produtos que atendessem a demanda do mercado.

Conclusão

A organização no Brasil que ainda luta pela reforma agrária é o Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST), e o órgão federal Instituto Nacional de Colonização de Reforma Agrária (INCRA).

Um fator que dificulta essa concentração de latifundiários no Brasil é a elevação do preço da terra. Com isso, a indenização acaba se tornando inviável, já que o Estado é quem teria que desembolsar essa quantia, para pequenas quantidades de terras, sem ter condições de produzir com qualidade.

Tal pressão sobre a política do agronegócio do país, pesa na economia assim como também se preocupa em direcionar uma melhor linha produtiva para o mercado de exportação.

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.