Raí tenta conter insatisfação dos atletas do São Paulo

0

Em meio ao descontentamento dos jogadores com os atrasos e a redução de salários acima do esperado, Raí, executivo de futebol, e Alexandre Pássaro, gerente de futebol, se reuniram com a comissão técnica e os jogadores do São Paulo nesta segunda, no CT da Barra Funda, para tentar explicar a crise financeira do clube.

Jogadores já treinam fisicamente Foto Twitter São Paulo
Jogadores já treinam fisicamente / Foto: Twitter São Paulo

A conversa serviu para os dirigentes demonstrarem aos jogadores qual é a real situação financeira do São Paulo, agravada pela pandemia do novo coronavírus, o que causou impacto direto nos salários dos atletas. A reclamação dos jogadores é de que o pagamento feito em junho corresponde a apenas 20% dos salários registrados em carteira.

Na conversa, os dirigentes do São Paulo também tiraram dúvidas dos jogadores sobre os problemas financeiros. Bem como falaram a respeito do planejamento técnico para essa retomada das atividades do clube.

Os treinamentos com bola serão iniciados na quarta-feira (1º de julho), dia para o qual está prevista a reapresentação de Daniel Alves e de outros atletas de nomes não revelados. Cada caso tem razões diferentes, todas não confirmadas. Igualmente não há informação do número de jogadores nessa situação.

Existe a ideia dos treinamentos ocorrerem por um período de tempo no CT da base, em Cotia, onde a estrutura é maior, sendo possível concentrar os jogadores com mais segurança. Embora haja atletas que entendam a grave crise financeira aumentada pela pandemia, também há incômodo pela volta aos trabalhos sem o recebimento dos valores de salários esperados.

Possibilidades do São Paulo para enfrentar crise financeira

Uma das maneiras para conter a crise seria estender o corte salarial imposto em 50% dos jogadores até o fim de 2020. A ideia não partiu do departamento de futebol. Outra alternativa é buscar um empréstimo em banco. Neste momento, porém, tanto o prazo da readequação quanto a porcentagem desse possível novo corte seguem indefinidos.

O corte salarial foi tema da última reunião entre o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, com a diretoria financeira e o Conselho de Administração. O departamento de futebol não tomou parte do encontro.

Antes da decisão, o São Paulo pretende buscar entendimento com os atletas. O assunto é considerado muito sensível no clube. A ideia é antes quitar os atrasos da salário para depois propor um novo acordo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.