Pyong Lee fala sobre beijo após divórcio e uso de desodorante

Youtuber bateu um papo com os seguidores do Instagram.

0
Pyong Lee fala sobre beijo
Reprodução: Instagram

Respondendo perguntas em seu Stories, Pyong Lee fala sobre beijo após seu divórcio de Sammy e responde outras coisas sobre sua vida pessoal. O youtuber diz que não usa desodorante e desabafa sobre ‘reconstrução’ após infância difícil.

Pyong Lee fala sobre beijo após divórcio

Ao ser questionado se ficou com alguém após a separação, o ex-Ilha Record se resumiu a falar: “Verdade”. Em outra mensagem, um internauta questiona se ele usa desodorante. “Alguns povos asiáticos têm falta de um gene, que é o causador do mau cheiro. No caso os coreanos estão inclusos. Dificilmente você acha desodorante pra comprar na Coreia”, explica, respondendo que não usa o utensílio.

Ademais, o influencer fala a respeito de sua trajetória pessoal ao ser questionado se era ‘confiante em si mesmo ao extremo’. “Verdade. Isso foi construído com o tempo. Erros, acertos, resultados… Imagina o Pyong criança: abandonado pela mãe, falecimento do pai, trabalha desde os 12 anos, herdou dívidas, nunca teve apoio nos objetivos e sonhos, asiático num país ocidental (zero oportunidades no meio artístico)… Ralou a vida toda, lutou contra todas as circunstâncias. Colocou a meta de ser famoso em 2009. E alcançou coisas inimagináveis, muito além das metas”, desabafa.

Com isso, Pyong reafirma que tem confiança em si mesmo e explica: “Sim, tenho auto confiança ao extremo. Se eu não tiver por mim, ninguém terá. Trabalhe sua auto estima e auto confiança. Não dependa de fatores externos. Só cuidado para manter sua essência”, aconselha ele, por fim.

Dívidas

Em novembro do ano passado, Pyong conversou com os fãs sobre as dívidas que enfrentou desde muito novo. “Mas eu já estive muito mal um dia, em relação a várias coisas. Perdi minha mãe com 9 anos, meu pai com 12. Passei por muita dificuldade financeira. Comecei minha vida adulta com mais de R$ 200 mil em dívidas. Trabalho desde os 12 anos de idade. Trabalhei como office boy em imobiliária, como corretor de imóveis. Meu tio, que foi meu pai, que me criou, me colocou para trabalhar cedo”, detalhou, na ocasião.

Avalie o Artigo:
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.