Projeto determina que Ligue 180 acione polícia quando mulher estiver em situação de risco grave

0

O Projeto de Lei 5204/20 determina que a Central de Atendimento à Mulher (Ligue 180) ofereça, no menu principal de opções, serviço de pronto atendimento a mulheres vítimas de violência, para acesso emergencial em situações de necessidade imediata ou de socorro rápido. 

Segundo o texto, de acordo com a gravidade e a urgência da situação relatada, o serviço de pronto atendimento deverá acionar de imediato as autoridades policiais, o corpo de bombeiros, a defesa civil ou a urgência médica, conforme o caso. 

“O propósito da medida é tornar disponível às mulheres que se encontrem em situação de risco grave e iminente um instrumento efetivo de socorro, por meio do acionamento imediato das forças policiais” afirma o deputado Denis Bezerra (PSB-CE), autor da proposta. 

Lei Maria da Penha 

Ainda segundo ele, “a intenção é que as ligações destinadas ao Ligue 180 que forem originadas sob essas circunstâncias recebam um tratamento diferenciado, de modo a oferecer às vítimas socorro imediato por parte das autoridades competentes”. 

Em análise na Câmara dos Deputados, o projeto insere a medida na Lei Maria da Penha. Atualmente o Ligue 180 recebe denúncias de violência, reclamações sobre os serviços da rede de atendimento à mulher e orienta as mulheres sobre seus direitos e sobre a legislação vigente, encaminhando-as para outros serviços quando necessário. Apesar de o projeto ainda está em fase de análise, seu desenvolvimento pode ser acompanhado através da Agência Câmara de Notícias. 

Como denunciar  

Para denunciar e buscar ajuda a vítimas de violência contra mulheres é possível ligar no número 180, Central de Atendimento à Mulher.  

O serviço registra e encaminha denúncias de violência contra a mulher aos órgãos competentes, bem como reclamações, sugestões ou elogios sobre o funcionamento dos serviços de atendimento.  

O serviço também fornece informações sobre os direitos da mulher, como os locais de atendimento mais próximos e apropriados para cada caso: Casa da Mulher Brasileira, Centros de Referências, Delegacias de Atendimento à Mulher (Deam), Defensorias Públicas, Núcleos Integrados de Atendimento às Mulheres, entre outros.  

A ligação é gratuita e o serviço funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana. São atendidas todas as pessoas que ligam relatando eventos de violência contra a mulher. O Ligue 180 atende todo o território nacional e também pode ser acessado em outros 16 países. 

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.