Produção industrial cresce em 10 dos 15 locais pesquisados em novembro

As maiores altas vieram de Bahia, Rio Grande do Sul e Amazonas

2

A produção industrial do Brasil avançou 1,2% em novembro do ano passado, na comparação com o mês anterior. E o avanço aconteceu graças às altas registradas em 10 dos 15 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), responsável pelo levantamento. A saber, oito das dez altas superaram a média nacional. As maiores delas vieram da Bahia (4,9%), do Rio Grande do Sul (3,8%) e do Amazonas (3,4%). Na sequência, vieram: Região Nordeste (2,9%), Santa Catarina (2,8%), Ceará (1,7%) e Rio de Janeiro (1,6%) e São Paulo (1,5%).

Além disso, também houve alta no Paraná (1,2%) e em Minas Gerais (0,6%). Por outro lado, cinco locais registraram queda na produção em novembro de 2020. As mais intensas vieram do Pará (-5,3%) e do Mato Grosso (-4,3%), seguidas por Pernambuco (-1,0%), Espírito Santo (-0,9%) e Goiás (-0,9%). O IBGE divulgou as informações nesta quinta-feira, dia 14.

De acordo com o instituto, as variações positivas registradas na maioria dos locais pesquisados continuam refletindo o retorno gradual à produção após as paralisações e interrupções mais intensas provocadas pela pandemia da Covid-19.

 

Veja detalhes da produção em outubro

Em resumo, a Bahia, que apresentou a maior alta do mês, voltou a crescer depois da leve queda de 0,1% em outubro. Já a segunda maior variação positiva veio do Rio Grande do Sul, que registra forte avanço de 67,0% no período de maio a novembro do ano passado. E o Amazonas, que teve a terceira maior alta, conseguiu eliminar a queda de 0,7% de outubro.

 

Comparações trimestrais e anuais

Ao mesmo tempo, a média móvel trimestral subiu 1,7% no trimestre encerrado em novembro, na comparação com o mês anterior. Aliás, 11 dos 15 locais pesquisados também registraram avanços em suas taxas trimestrais, com destaque para Paraná (4,5%), Santa Catarina (3,4%), Bahia (3,2%), Rio Grande do Sul (3,1%), Amazonas (2,7%), São Paulo (2,2%) e Região Nordeste (1,9%). No entanto, do lado das quedas, ficaram: Pará (-3,6%), Rio de Janeiro (-1,9%), Mato Grosso (-1,8%) e Goiás (-1,3%).

Na comparação com novembro de 2019, a produção cresceu 2,8%. Nesta mesma base de comparação, os estados que apresentaram os maiores avanços foram Paraná (14,0%), Santa Catarina (11,1%) e Pernambuco (10,0%). Os seguintes locais também tiveram avanços superiores à média nacional: Rio Grande do Sul (8,7%), Amazonas (7,8%), Ceará (6,0%), Minas Gerais (5,2%), São Paulo (4,7%) e Região Nordeste (3,0%). Já a Bahia (1,0%) completou o conjunto de locais com crescimento na produção no índice mensal de novembro de 2020.

Já as taxas negativas, na comparação entre o mesmo mês de 2019 e 2020, ficaram com: Mato Grosso (-18,4%), Rio de Janeiro (-7,0%), Pará (-4,6%), Goiás (-4,2%) e Espírito Santo (-3,9%).

 

Por fim, no acumulado do ano, apenas três dos 15 locais pesquisados registram crescimento. O principal destaque ficou com Pernambuco (3,2%), com o maior avanço acumulado de janeiro a novembro, seguido por Rio de Janeiro (0,5%) e Goiás (0,4%).

 

LEIA MAIS

Ministério estuda criação de programa para demitidos da Ford

Leia Também:

2 Comentários
  1. […] Produção industrial cresce em 10 dos 15 locais pesquisados em novembro […]

  2. […] Por fim, o Indicador do Ipea de Consumo Aparente de Bens Industriais acumula uma queda de 6,9% nos últimos 12 meses. Da mesma forma, a produção industrial, medida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), também apresentou avanço de 1,2% em novembro.  […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.