Premiê britânico promete vacinação 24 horas por dia para frear avanço da covid

0

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, prometeu, nesta quarta-feira (13), que a campanha de vacinação contra a covid-19 vai funcionar 24 horas por dia. O país acelera para imunizar milhões de pessoas mais vulneráveis ​​contra o coronavírus em meio ao recorde em número de mortes pela doença.

Johnson disse que “no momento, o limite está no fornecimento” das vacinas, e não na capacidade do serviço de saúde do país de entregar as vacinas rapidamente. O premiê afirmou que a vacinação 24 horas por dia em sete dias por semana vai começar “quando for possível”.

A vacinação será dada em centenas de consultórios médicos e farmácias comunitárias, 50 locais de vacinação em massa em centros de convenções e estádios esportivos. Além disso, mais de 200 hospitais vão aplicar o imunizante.

Mais de 100 mil pessoas morreram por causa de complicações da covid-19 no Reino Unido desde que a doença apareceu pela primeira vez no país. Nesta quarta-feira (13), o país registrou um recorde no número diário de mortes: 1.564. 

O Reino Unido está sob lockdown por tempo indeterminado para conter a disseminação da nova variante. Lojas não essenciais, como academias e cabeleireiros estão fechadas. A maioria das pessoas trabalham em casa e as escolas oferecem ensino à distância.

Conforme a mídia local, o governo tenta desesperadamente proteger as pessoas com vacinas antes que os hospitais sejam sobrecarregados. O maior temor são os casos da nova variante do vírus, que é mais infecciosa. 

Vacinação no Reino Unido

De acordo com dados da Bloomberg, mais de 3 milhões de doses já foram aplicadas no Reino Unido. O país foi o primeiro a começar a campanha de imunização em 8 de dezembro.

O governo britânico estabeleceu uma meta de entregar a primeira dose da vacina a todos com mais de 70 anos. O plano, ao mesmo tempo, quer imunizar os profissionais de saúde da linha de frente, residentes de casas de repouso e qualquer pessoa cuja saúde os torna especialmente vulneráveis ​​ao vírus, até meados de fevereiro. São mais de 15 milhões de pessoas.

O Reino Unido aplica vacinas contra a covid-19 da Pfizer-BioNTech e Oxford-AstraZeneca. O imunizante da Moderna também já foi aprovado, mas não deve ser entregue antes de março.

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.