Prefeitos do litoral decidem fechar as praias no Réveillon

As praias da Baixada Santista serão bloqueadas nos dias 31 de dezembro e 1º de janeiro

2

Os nove prefeitos da Baixada Santista, no litoral de São Paulo, anunciaram nesta quarta-feira (23) que vão fechar as praias apenas no Réveillon, isto é, não vão seguir à risca a recomendação do governo do estado e continuarão na fase amarela do Plano São Paulo, o programa que visa a contenção da Covid-19.

Leia também: MP intima para depor pastor que disse que CoronaVac tem HIV

A decisão vai de encontro com o anúncio feito ontem, terça-feira (22) pelo governador João Dória, que determinou que as cidades do estado regressem à fase vermelha do plano de contenção.

De acordo com os prefeitos do litoral do estado, as praias serão fechadas nos dias 31 de dezembro e 1 de janeiro. Eles ainda revelaram que aguardam um apoio do Governo de SP para implantar as novas medidas de restrição na região.

As praias da Baixada Santista serão bloqueadas nos dias 31 de dezembro e 1º de janeiro. (Foto: reprodução)
As praias da Baixada Santista serão bloqueadas nos dias 31 de dezembro e 1º de janeiro. (Foto: reprodução/ governo de Santos)

Durante a coletiva, que serviu para divulgar a decisão, o Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Baixada Santista (Condesb), por meio de seu presidente, o prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, também definiu que as praias da Baixada Santista serão bloqueadas nos dias 31 de dezembro e 1º de janeiro.

“Objetivo é evitar a vinda das pessoas, porque as pessoas vêm com o objetivo de passar o Réveillon na praia e isso não será possível”, acrescentou Paulo Barbosa. Atualmente, barreiras sanitárias nos municípios já são implantadas aos fins de semana em Santos e Guarujá para proibir o acesso de vans e ônibus de turismo.

O que funciona na fase amarela

De acordo com o prefeito de Santos, as cidades da Baixada Santista irão seguir as determinações da fase amarela do Plano São Paulo. Nesta fase, shoppings, galerias e estabelecimentos comerciais podem abrir com ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local e horário reduzido de 10 horas.

Já as praças de alimentação, ao ar livre ou em áreas arejadas, estão liberadas. Os bares, restaurantes e similares podem funcionar somente ao ar livre ou em áreas arejadas, com ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local, horário reduzido de 10 horas.

O consumo local está permitido até às 17h. Todavia, o consumo local passa a ser até as 22h se a região estiver há, pelo menos, 14 dias seguidos na fase amarela.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.