Preconceito linguístico: o que é, exemplos, resumo e redação

0

O preconceito linguístico é um tema que deve ser estudado por todos, principalmente por aqueles que estão pensando em realizar a redação para o Enem ou vestibular. Portanto, se você ainda não tem uma ideia específica sobre o que é e quais os exemplos, continue a leitura para descobrir mais sobre o tema!

O que é preconceito linguístico?

O preconceito linguístico é um tipo de discriminação social que possui o intuito de desvalorizar uma cultura pela forma com que ela se comunica. Ele pode ser realizado tanto de forma escrita como oral. A afirmativa que é uma questão social se deve especialmente porque a fala depende também da classe, renda e educação do falante. Quando uma família é mais pobre, ela se afasta do acesso a aprendizagem da língua e norma culta.

E então, quer saber quais são os principais exemplos de preconceito linguístico?

Exemplos práticos

“O certo é falar assim porque se escreve assim”

A variação de fonemas é um fenômeno natural da língua portuguesa. Todavia, também não se deixa de ser necessário ensinar a escrever de acordo com a ortografia e gramática. Para Marcos Bagno, seria mais justo ensinar uma criança que falar “bulacha” não está errado mas que ela deve saber escrever conforme indicam as regras gramaticais, já que elas são únicas para toda a população.

A ortografia é uma tentativa de colocar a língua no papel para que os falantes consigam compreender. Logo, a escrita com todas as inflexões e tons de voz assim como na fala, é impossível de ser introduzida.

“Pessoas sem instruções falam errado”

O português não é uma língua homogênea que apenas as classes privilegiadas conhecem. Como já se sabe, isso ocorre justamente porque o preconceito linguístico é decorrência do preconceito social que existe em nossa sociedade. Os pobres e com menos acesso à educação devem aprender a “falar corretamente” assim como alguém que está no mundo acadêmico há anos.

“Só em Portugal se fala bem o português”

Nomeamos a nossa língua com o “português” devido a traços históricos em relação à colonização. Entretanto, a língua fala entre os dois países já possuem variações. Dessa forma, muitos especialistas preferem usar o termo de “português brasileiro” ou até mesmo de “língua brasileira”. Sendo assim, é possível ser mais específico na abordagem e marcar de forma clara as divergências. O nível em que ainda é possível uma compreensão entre ambos é através da escrita, já que a fala possui grandes diferenças.

O Brasil não é apenas europeu, apesar de haver sido colonizado por portugueses. Nosso país é uma mistura única e singular de culturas asiáticas, africanas, indígenas e europeias.

Caso queira mais dicas para o Enem ou Vestibular, basta clicar aqui e ler a coluna exclusiva do Brasil 123.

Avalie o Artigo:
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.