Preço médio do gás de cozinha recua levemente na semana

Botijão de 13 quilos custa, em média, R$ 112,93 no Brasil; Rio de Janeiro tem o gás mais barato, enquanto Mato Grosso segue com o mais caro do país

0

O preço médio do gás de cozinha caiu 0,16% na semana de 8 a 14 de maio no país. A variação representa uma queda de 18 centavos, que não deverão afetar o bolso do brasileiro isoladamente. Aliás, a população espera desde o mês passado por uma queda expressiva no valor do gás de cozinha, mas isso não aconteceu até agora.

A saber, a Petrobras reduziu em 5,58% em reais por metro cúbico o preço do botijão de gás em 9 de abril. Contudo, de lá pra cá, o gás de cozinha ficou apenas 61 centavos mais barato.

Por outro lado, quando a estatal elevou em 16,1% o preço do botijão em março, o valor médio nacional ficou R$ 10,12 mais caro. Seja como for, a população sofre com um botijão de 13 quilos que custa mais de R$ 100 desde o ano passado, e não há expectativas de queda dos preços por enquanto.

Veja detalhes do levantamento da ANP 

Na semana passada, o preço médio nacional do gás de cozinha caiu para R$ 112,93. De acordo com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que atualizou os dados nesta quinta-feira (19), o botijão acumula forte alta de 32,65% em 12 meses.

Nesta atualização, o gás de cozinha ficou mais barato em quatro regiões do país: Centro-Oeste (-0,65%), Norte (-0,40%), Nordeste (-0,23%) e Sudeste (-0,03%). A única exceção foi o Sul, onde o botijão subiu 0,07%.

A ANP também revelou que o preço do gás caiu em 17 das 27 Unidades da Federação (UFs). Os recuos mais expressivos vieram de Mato Grosso do Sul (-1,10%), Tocantins (-0,94%), Alagoas (-0,81%) e Bahia (-0,79%). Por sua vez, nenhum avanço superou 1%.

Ranking nacional do preço dos botijões

Nesta semana, o preço do botijão vendido no Rio de Janeiro seguiu como o mais barato do Brasil, custando R$ 100,702. Aliás, o botijão de 13 quilos no estado fluminense foi o mais barato do país em todas as semanas de 2022.

Na sequência, ficaram: Pernambuco (R$ 103,251), Bahia (R$ 106,130), Distrito Federal (R$ 107,540), Espírito Santo (R$ 107,562), Sergipe (R$ 107,572) e Alagoas (R$ 108,196).

Por outro lado, o botijão mais caro do país foi o de Mato Grosso (R$ 134,278). Em seguida, ficaram: Rondônia (R$ 133,959), Acre (R$ 130,766), Roraima (R$ 125,375), Amapá (R$ 123,276), Santa Catarina (R$ 122,929) e Tocantins (R$ 122,639).

Entre as regiões do país, o Norte seguiu na liderança nacional, com o botijão de 13 quilos registrando um valor médio de R$ 122,600. Em seguida ficou o Centro-Oeste, onde o preço chegou a R$ 120,159. O Sul completa o top três, com o botijão de gás custando R$ 115,100.

Dessa forma, os menores preços foram os comercializados no Nordeste (R$ 110,984) e no Sudeste (R$ 110,419), únicas regiões com valores inferiores à média nacional.

Por fim, vale ressaltar que o levantamento da ANP mostra os preços médios de revenda do país, mas também os preços de paridade de importação nos postos. Em suma, o valor no Porto de Santos subiu 0,10% na semana, alta bem mais tímida que a do Porto de Suape (1,33%).

Leia Também: Preços da gasolina e do diesel sobem nos postos e batem recorde

5/5 - (1 vote)

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.