População na força de trabalho sobe 0,8% em novembro, segundo IBGE

O nível, coletado pela PNAD Covid, corresponde a 98,7 milhões de pessoas

1

A população na força de trabalho subiu 0,8% em novembro deste ano, na comparação com o mês anterior. Com a alta, a quantidade de pessoas nesse segmento chegou a 98,7 milhões. Já a parcela de pessoas fora da força de trabalho registrou queda de 0,9%. Dessa forma, o quantitativo alcançou 72,0 milhões de pessoas. 

A saber, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou as informações nesta quarta-feira, dia 23. O levantamento foi realizado pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD Covid). 

De acordo com os dados, 33,4% das pessoas (24,1 milhões) que estavam fora da força de trabalho afirmaram que gostariam de trabalhar, mas não buscaram trabalho. Já 13,7 milhões (18,9%) não buscaram trabalho devido à pandemia da Covid-19 ou à falta de trabalho na localidade, mas também afirmaram que gostariam de trabalhar.

Vale ressaltar que, em maio, o nível de pessoas que gostariam de trabalhar, mas não o fizeram por causa da pandemia ou pela falta de trabalho na localidade, estava em 70,2%. Em resumo, este percentual vem caindo a cada mês.

 

Nível de ocupação sobe em todas as regiões

Ainda segundo o IBGE, o nível de ocupação chegou a 49,6% em novembro, ante 49,3% no mês anterior. Nesta mesma comparação, esse indicador apresentou um leve aumento em todas as regiões do país. A saber, em maio, quando a PNAD Covid teve início, o nível estava em 49,7%. Ou seja, o patamar atingido em novembro está bem próximo ao verificado no começo da pesquisa.

Por fim, as regiões Norte e Nordeste apresentaram, mais uma vez, os menores níveis de ocupação do Brasil: 41,2% e 46,5%, respectivamente. Em suma, desde o início da PNAD Covid, estas duas regiões registram valores abaixo de 50% em relação às pessoas em idade de trabalhar que, de fato, estão no mercado de trabalho.

 

LEIA MAIS

Dólar registra quarta alta seguida e a bater os R$ 5,20

Ibovespa encerra último pregão antes do Natal com alta de 1,00%

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.