Polícia Civil encerra festa clandestina em uma mansão no Morumbi, SP

Segundo números do Governo de São Paulo, 69.309 ações de fiscalização em todo o estado foram realizadas apenas nos últimos 30 dias.

0

Agentes da Polícia Civil encerraram uma festa clandestina, na noite de quarta-feira (14), onde pelo menos 50 pessoas festejavam sem máscaras. De acordo com as informações, na frente do imóvel, estavam estacionados vários carros importados e no interior da casa um bar foi montado para servir aos convidados.

Leia também: Vídeo: Brasileiros fazem apelo por ajuda internacional no combate à Covid-19

Para chegar até o local, no bairro do Morumbi, área nobre da cidade de São Paulo, os agentes contaram com uma denúncia anônima. Ao chegar na mansão, os policiais dispensaram os convidados e levaram o responsável pela festa para uma delegacia.

Em nota, a Polícia Civil afirmou que o responsável será multado. O valor da multa, todavia, não foi informado.

Polícia Civil encerra festa clandestina em uma mansão no Morumbi, SP
Em nota, a Polícia Civil afirmou que o responsável será multado. O valor da multa, todavia, não foi informado. (Foto: reprodução)

Outro caso em São Paulo

Na madrugada desta quinta-feira (15), a polícia também encerrou as atividades de um cassino ilegal que funcionava na Zona Oeste da cidade de São Paulo. Assim como na festa do Morumbi, cerca de 50 pessoas estavam no local – todas foram levadas para uma delegacia.

Força-tarefa contra as festas

Segundo números do Governo de São Paulo, 69.309 ações de fiscalização em todo o estado foram realizadas apenas nos últimos 30 dias. De acordo com o órgão, as fiscalizações resultaram em 2.475 autuações a comércios em funcionamento irregular e fechamentos de festas clandestinas.

O objetivo das fiscalizações é o rígido cumprimento das normas do Plano São Paulo para o enfrentamento da pandemia da Covid-19 no estado, que vem batendo seguidos recordes de casos e mortes.

Na quarta (14), o governador João Doria (PSDB), chamou a atenção para a força-tarefa que tem sido feita no estado. De acordo com ele, as ações se tornaram referência para todo o Brasil.

“Quero aproveitar aqui para agradecer ao Ministério Público, à Ordem dos Advogados do Brasil e o Poder Legislativo, em especial o Deputado Alexandre Frota pelo apoio e participação em todas as atividades dessa Força-Tarefa que se tornou uma referência. É um exemplo de ação coordenada e bem planejada da inteligência da Polícia para evitar festividades e aglomerações em São Paulo”, afirmou Doria.

De acordo com o governador, os resultados expressivos foram obtidos por meio de uma série de ações conjuntas entre integrantes da Vigilância Sanitária Estadual, Procon-SP e Polícias Militar e Civil, além dos órgãos fiscalizatórios municipais.

Os números em detalhes

Conforme os números do governo do estado, a Vigilância Sanitária promoveu 35.935 atos de fiscalização no período entre 12 de março e 12 de abril na capital, interior e litoral, com 1.326 autuações no total.

Na capital, as ações são feitas em parceria com órgãos fiscalizatórios da Prefeitura, por meio do Comitê de Blitz, e geraram 223 autuações em 602 inspeções.

Além disso, o Procon-SP realizou 7.765 atos fiscalizatórios e lavrou 473 autos de infração. Houve 6.083 fiscalizações no interior, com 222 autuações, e outras 1.682 inspeções na capital, que resultaram em 251 autuações do órgão de defesa do consumidor.

Segurança pública

Atualmente, a fiscalização é reforçada desde fevereiro por policiais civis e militares. A Secretaria de Segurança Pública efetuou mais de 22 mil ações de combate a aglomerações em todo o estado. A Polícia Militar (PM) atuou em 21.730 ações em pontos com aglomerações. Já a Polícia Civil efetuou 861 ações que resultaram em 405 pessoas autuadas em flagrante.

Leia também: Técnica de enfermagem é presa com restos de vacina da Covid-19 no Rio

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.