PF deflagra operação para investigar contrabando de migrantes para os Estados Unidos

De acordo com a PF, para ser um dos recrutados, as pessoas precisavam desembolsar até 30 mil dólares pelo “pacote de serviços”

0

Agentes da Polícia Federal (PF) cumpriram, nesta sexta-feira (24), mandado de busca e apreensão em Fundão, localizada na Região Metropolitana do Espírito Santo. De acordo com a entidade, a ação teve o intuito de investigar o contrabando de migrantes para os Estados Unidos.

Em nota, a PF revelou que a ação teve a participação de dez agentes da entidade, que saíram às ruas para, além de cumprir os mandados judiciais, colher novas provas que ajudarão na conclusão das investigações.

Ainda conforme informou o órgão federal, hoje, duas pessoas são investigadas por serem suspeitas de envolvimento na promoção de migração ilegal para os Estados Unidos. Uma, inclusive, já foi presa acusada do mesmo crime em uma ação da PF em Minas Gerais.

Pessoas em situações precárias

Na hora de cumprir os mandados, os agentes entraram em um local e se depararam com dez pessoas, sete adultos e três crianças, alocadas em um lugar com condições precárias. “Inicialmente, as pessoas confirmaram as suspeitas da polícia e seguiram para a Superintendência da PF, onde foram ouvidas e liberadas”, informou a entidade.

De acordo com a PF, para ser um dos recrutados, as pessoas precisavam desembolsar até 30 mil dólares pelo “pacote de serviços”
De acordo com a PF, para ser um dos recrutados, as pessoas precisavam desembolsar até 30 mil dólares pelo “pacote de serviços”. (Foto: reprodução)

As investigações da PF

Com o decorrer das diligências, a Polícia Federal constatou que os investigados recrutavam pessoas dos estados do Espírito Santo e de Minas Gerais. O intuito: promover a emigração ilegal do Brasil dessas pessoas para os Estados Unidos, por meio da fronteira do México.

Para ser um dos recrutados, as pessoas precisavam desembolsar até 30 mil dólares pelo “pacote de serviços”. De acordo com as informações, os criminosos afirmavam que, pagando o valor, havia uma certeza de chegada em solo americano, o que não era verdade.

Prova disso é que, no começo deste mês, uma brasileira de 49 anos foi encontrada morta durante uma patrulha de agentes norte-americanos em uma área desértica no Novo México, nos Estados Unidos.

“Em Fundão, a dupla estabeleceu um verdadeiro “posto” de espera, um local onde aguardavam pela preparação de documentos, compra de passagens e demais arranjos necessários para a entrada irregular nos Estados Unidos”, detalhou a PF.

Por fim, a PF revelou que, de acordo com as estimativas, cerca de 150 brasileiros sejam detidos diariamente pelas agências policiais americanas, chegando a quase cinco mil por mês. Até julho, 30.508 mil brasileiros que tinha o sonho de entrar nos Estados Unidos foram barrados.

Leia também: PF indicia 22 pessoas suspeitas de envolvimento com o comércio ilegal de criptomoedas

Veja Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.