PF deflagra operação para combater a disseminação de pornografia infantil

Segundo a PF, o suspeito passou a ser investigado após relatórios mostrarem que ele estaria compartilhando cenas de violência sexual contra menores

0

A Polícia Federal (PF) deflagrou, nesta terça-feira (21), uma operação que teve como intuito combater a disseminação do compartilhamento e também a posse de imagens e vídeos com conteúdo de abuso sexual infanto-juvenil. Segundo a corporação, o foco da ação é um usuário da internet residente em Criciúma, em Santa Catarina, que estaria cometendo os crimes citados.

Em nota, a Polícia Federal revelou que os agentes da entidade cumpriram um mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça Federal. Ainda conforme a corporação, o objetivo do cumprimento foi localizar equipamentos usados no armazenamento e compartilhamento de imagens de exploração sexual infantojuvenil.

As investigações da PF

Segundo a Polícia Federal, o suspeito começou a ser investigado após relatórios mostrarem que ele estaria compartilhando centenas de arquivos com cenas de violência sexual contra crianças e adolescentes.

“O crime aconteceria por meio da utilização de redes de compartilhamento de arquivos denominadas P2P”, revelou a entidade, que ainda detalhou que foram realizadas a arrecadação e a apreensão de equipamentos de informática, celulares e mídias de armazenamento. Todo o material apreendido será submetido à perícia.

Outra ação

Outra ação no mesmo sentido também foi cumprida nesta terça (21), mas, desta vez, em Aracaju, em Sergipe. Por lá, informou a PF, os agentes da corporação deram cumprimento a um mandado de busca e apreensão e também de prisão expedidos pela Justiça do estado.

“O objetivo da ação foi coletar provas para investigação que apura produção, armazenamento e divulgação de pornografia infantil na internet”, revelou a PF.

Ainda conforme a corporação, durante a operação, equipamentos eletrônicos utilizados nas condutas criminosas foram apreendidos e o acusado do crime acabou sendo preso temporariamente.

Atualmente, o crime de compartilhamento de arquivos de pornografia infantil é punido com pena de reclusão de até seis anos. Já o crime de posse de arquivos de pornografia infantil tem uma pena que pode chegar a quatro anos de prisão.

Leia também: PF investiga fraude na compra de medicamentos de alto custo pelo Ministério da Saúde

Veja Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.