Petróleo despenca na semana. O que vai acontecer?

0

O preço do petróleo até que subiu nessa sexta-feira, 5, mas fechou a semana na maior queda desde fevereiro desse ano. No final da semana, a commodity acumulou uma perda de 8,70% no Brent, enquanto o WTI caiu 9,74%. Na prática, essa é uma excelente notícia, principalmente porque afeta diretamente a nossa realidade.

Além disso, é importante ressaltar que o petróleo ficou abaixo dos US$90,00, conhecida como a “barreira psicológica” do mercado financeiro. Com isso, a tendência é que o preço siga em patamares baixos, o que afeta positivamente a economia do mundo todo.

Petróleo em queda

O preço do petróleo caiu bastante durante a semana, mesmo recuperando uma parte dos preços na sexta-feira, 5. O barril, que chegou a custar mais de US$120, agora está cotado a US$93,50 no Brent e US$87,8 no WTI. Os preços em baixa representam uma boa notícia para o consumidor, mesmo que as causas da queda sejam por motivos ruins.

Isso porque a queda de preço vem por conta do temor de uma recessão econômica nos Estados Unidos. Vale lembrar que o PIB de lá caiu por dois trimestres consecutivos, o que indica que a economia vem desacelerando. Com menos pessoas comprando, o preço das commodities também cai, principalmente porque são matérias-primas para diversos produtos. No caso do petróleo, não é apenas a gasolina que vem do produto. Na verdade, em casos de recessão, a produção de embalagens de produtos cai. O plástico, por exemplo, vem do petróleo também.

Com a possível recessão e com menos pessoas comprando, as empresas que usam as commodities param de comprar petróleo, que faz o preço cair. Por outro lado, mesmo com o temor de uma recessão, os Estados Unidos e o Brasil vêm criando diversas vagas de emprego. Com isso, a notícia é positiva para quem está assalariado.

Gasolina x diesel
(Imagem: Fernando Frazão / Agência Brasil).

Como isso afeta a sua vida?

A queda do petróleo representa um alívio quase que imediato para o bolso do consumidor. Isso porque preço mais baixo é sinal de que todos os produtos podem ficar mais baratos, mas alguns baixam ainda mais. Dessa forma, a queda do petróleo é aguardada por muitos economistas, que veem no Brasil um sinal claro de deflação para os próximos meses.

Com o petróleo mais barato, a produção de gasolina também fica mais barata, o que faz o preço do litro cair. Nos postos, a diferença de preços já é sentida, mas o litro pode baixar ainda mais, caso a commodity siga no atual preço. Com isso, todos os outros produtos devem se beneficiar, dado que o preço dos combustíveis afeta toda a produção, principalmente nos produtos que precisam de serviços de frete.

Vale lembrar que há alguns meses, com o petróleo e o dólar disparando, o Brasil passou por dificuldades, vendo o litro a R$8,00 em alguns postos do Brasil. Nessa semana, a ANP não divulgou os preços médios da gasolina, por conta de um ataque cibernético, mas na semana passada o valor médio no Brasil era de R$ 5,89. Há cerca de um mês, esse preço ficava em R$7,13.

Avalie o Artigo:
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.